Postagens

Grada Kilomba - Memórias da Plantação

Imagem
Grada Kilomba - Memórias da Plantação: Episódios de Racismo Cotidiano - Editora Cobogó - 249 Páginas -  Capa de Rara Dias e Paula Delecave (foto de Zé de Paiva) - Tradução: Jess Oliveira - Lançamento: 2019.
A escritora e psicóloga portuguesa Grada Kilomba – com origens em Angola e São Tomé e Príncipe – é militante do feminismo negro e autora de Memórias da Plantação: Episódios do racismo cotidiano, livro publicado originalmente em inglês em 2008, que avalia o racismo e seus impactos sobre raça, gênero e classe. "Descolonizar o conhecimento" é a ideia que move esta obra, sabendo que, ainda hoje, todos os "conceitos de conhecimento, erudição e ciência estão intrinsicamente ligados ao poder e à autoridade racial", relegando o pensamento negro a discursos marginais, fora do contexto acadêmico.
Grada Kilomba aborda questões importantes sobre as formas contemporâneas do racismo que adaptou as antigas concepções do colonialismo, apelativas de uma falsa "superioridade b…

Raphael Montes - Dias perfeitos

Imagem
Raphael Montes - Dias perfeitos - Companhia das Letras - 280 Páginas - Capa: Retina 78 - Lançamento: 2014 (Leia um trecho disponibilizado pela Editora)
Raphael Montes surpreendeu público e crítica quando lançou em 2012, com apenas 20 anos, seu primeiro romance de suspense policial, Suicidas, finalista dos prêmios: Benvirá de Literatura (2010), Machado de Assis (2012) e São Paulo de Literatura (2013). Dias perfeitos, lançado em 2014 foi o segundo romance na carreira do autor e também se tornou um sucesso imediato de vendas e direitos de tradução negociados com 22 países, consolidando um estilo vibrante de diálogos velozes e precisos, assim como temas violentos e muitas reviravoltas, sem que o leitor consiga interromper a leitura do início ao final do livro.

Em Dias perfeitos acompanhamos em detalhes as decisões na mente de um protagonista psicopata que, em nome de um amor mórbido, justifica com uma lógica fria e calculista todos os meios para atingir seus objetivos. Téo é um estudante de…

Sérgio Sant'Anna (1941-2020)

Imagem
Um discurso sobre o método (trecho de um conto de Sérgio Sant'Anna)
"Ele se encontrava  sobre a estreita marquise do 18º andar. Tinha pulado ali a fim de limpar pelo lado externo as vidraças das salas vazias do conjunto 1801/5, a serem ocupadas em breve por uma firma de engenharia. Ele era um empregado recém-contratado da 'Panamericana – Serviços Gerais'. O fato de haver se sentado à beira da marquise, com as pernas balançando no espaço, se devera simplesmente a uma pausa para fumar a metade do cigarro que trouxera no bolso. Ele não queria dispersar este prazer misturando-o ao trabalho. / Quando viu o ajuntamento de pessoas lá embaixo, apontando mais ou menos em sua direção, não lhe passou pela cabeça que pudesse ser ele o centro das atenções. Não estava habituado a ser este centro e olhou para baixo e para cima e até para trás, a janela às suas costas. Talvez pudesse haver um princípio de incêndio ou algum andaime em perigo ou alguém prestes a pular. / Não havia nada i…

Carla Bessa - Urubus

Imagem
Carla Bessa - Urubus - Editora Confraria do Vento - 104 Páginas - Projeto Gráfico: Pranayama Design - Lançamento: 2019.
Uma linguagem seca e direta confere caráter de urgência aos contos reunidos nesta mais recente antologia de Carla Bessa que apresenta um recurso técnico original ao fazer com que as narrativas se desenvolvam em um mesmo recorte de tempo e espaço, produzindo múltiplos pontos de vista para uma dada situação em função dos personagens envolvidos e suas próprias motivações. 
Esses personagens podem ainda estar buscando um resto de felicidade possível (ou impossível) em meio aos escombros em que se transformaram suas próprias vidas. De fato, para alguns só resta o papel de presa ou carniça em uma sociedade injusta, eles insistem em sobreviver em um meio adverso, cercados por predadores que, assim como os urubus, seguem planando em longos círculos sobre suas vítimas, aguardando.

No conto de abertura, que empresta o título ao livro, o menino Zezinho vive em um lixão com seu pai…

Ricardo Terto - Os dias antes de nenhum

Imagem
Ricardo Terto - Os dias antes de nenhum - Editora Patuá - 104 Páginas - Capa, projeto gráfico e diagramação: Rodrigo Sommer - Lançamento: 2019.
Os 13 contos reunidos nesta antologia de Ricardo Terto obedecem à estrutura que foi consagrada por alguns mestres do gênero, ou seja, pequena extensão dos textos, narrados em primeira ou terceira pessoa, conquistando a atenção do leitor desde o início e finais surpreendentes. Contudo, seguem também uma orientação mais subjetiva que se torna clara à medida que avançamos na leitura: uma certa dificuldade de adaptação dos protagonistas aos padrões de conduta impostos pela sociedade, deslocados do meio em que vivem e envolvidos em atividades profissionais com as quais não se identificam, os personagens, em sua fragilidade, provocam a identificação do leitor e o conflito na trama, combustível da boa literatura.

Seja o vigilante noturno Durval, que acompanha uma área conhecida pelo consumo de crack, prostituição e violência, "protegendo o capital…

Alexandra Vieira de Almeida - A negra cor das palavras

Imagem
Alexandra Vieira de Almeida - A negra cor das palavras - Editora Penalux - 102 Páginas - Editoração Eletrônica e Capa de Karina Tenório - Posfácio de Nuno Rao - Lançamento: 2020.
Os poemas neste mais recente lançamento de Alexandra Vieira de Almeida, A negra cor das palavras, lidam com os simbolismos relacionados ao chiaroscuro, como era denominada a técnica de pintura renascentista que consistia em revelar os objetos por meio do contraste entre luz e sombra. Neste jogo de diferenças – mas que pode revelar também harmonia – a poeta destaca as palavras impressas contra a página em branco, a lua que inspira a noite dos poetas,  o amanhecer a brincar com a madrugada na floresta negra, o vinho tinto e o erotismo ácido das estrelas, companheiros da aventura da escrita e tantos outros signos.

Acontece também da negritude representar o alerta do desequilíbrio social e preconceito racial contra uma etnia em nosso país dividido em fragmentos, como neste lindo trecho do poema Navio Noturno: "…

Fabio Weintraub - Quadro de Força

Imagem
Fabio Weintraub - Quadro de Força - Editora Patuá - 112 Páginas - Projeto gráfico e diagramação de Luyse Costa - Lançamento: 2019
Fabio Weintraub retrata os urgentes desequilíbrios sociais do nosso tempo e confere uma voz para grandes parcelas da nossa população que têm o status de invisíveis, talvez porque ninguém se interesse realmente em enxergá-las, "perdedores" que insistem em sobreviver na paisagem urbana, ignorados por todos. Seja a partir do martírio de uma travesti no SUS para conseguir um corpo impossível, descrito em Sete poemas trans, ou por meio da dor de uma mãe (ou pai) ao perder o filho assassinado devido à violência policial em O rosto, essas pessoas se transformam em personagens-vítimas no cotidiano das nossas grandes e injustas cidades.

Se a inspiração dos temas é brutal, o estilo tem como base uma técnica refinada na qual o ritmo dos versos livres se associa com a escolha cuidadosa da linguagem e rimas. É importante não cair na armadilha simplista de classi…

Alê Motta - Velhos

Imagem
Alê Motta - Velhos - Editora Reformatório - 136 Páginas - Design e editoração eletrônica: Negrito Produção Editorial - Lançamento: 2020.

Este mais recente lançamento de Alê Motta, uma antologia de narrativas curtas, todas associadas a protagonistas na terceira idade, me lembrou uma passagem de O Animal Agonizante de Philip Roth que resume bem o assunto: "Para aqueles que ainda não são velhos, ser velho significa ter sido. Porém ser velho significa também que, apesar e além de ter sido, você continua sendo, e a consciência de continuar sendo é tão avassaladora quanto a consciência de ter sido. Eis uma maneira de encarar a velhice: é a época da vida em que a consciência de que a sua vida está em jogo é apenas um fato cotidiano. É impossível não saber o fim que o aguarda em breve. O silêncio em que você vai mergulhar para sempre. Fora isso, tudo é tal como antes. Fora isso, você continua sendo imortal enquanto vive."
Essa sensação de imortalidade enquanto vivemos, ou seja, da imp…

Julie Dorrico - Eu sou macuxi e outras histórias

Imagem
Julie Dorrico - Eu sou macuxi e outras histórias - Editora Caos e Letras - 108 Páginas - Ilustrações de Gustavo Caboco - Projeto Gráfico: Cristiano Silva - Arte de Capa: Eduardo Sabino - Lançamento: 2019.
Sabemos que a assimilação da cultura indígena foi um verdadeiro genocídio em nosso país em vários níveis, inicialmente como uma guerra bacteriológica entre as moléstias que o branco trazia e eram fatais para a população nativa, depois pelas sucessivas e frustradas tentativas de escravização do índio. E ainda hoje não há lugar em nossa sociedade para os territórios e direitos indígenas, muito menos para a literatura indígena. Julie Dorrico nos apresenta com este livro o orgulho do pertencimento étnico e nos ensina o que já deveríamos saber: "de que afinal, humanos, florestas, animais, somos todos gente."

Em "O caminho de volta", o texto de apresentação do escritor e professor Daniel Munduruku, um dos expoentes da literatura indígena hoje, graduado em filosofia, histó…

Adriana Vieira Lomar - Aldeia dos Mortos

Imagem
Adriana Vieira Lomar - Aldeia dos Mortos - Editora Patuá - 196 Páginas - Ilustração, Projeto gráfico e Diagramação: Leonardo Mathias - Lançamento: 2020.
Adriana Vieira Lomar utilizou um recurso narrativo semelhante ao imaginado por Ian McEwan em seu romance de 2016, Enclausurado, no qual um feto em gestação conduz toda a trama, só que a autora neste Aldeia dos Mortos vai ainda além ao fazer com que o seu improvável protagonista – uma menina, viremos a descobrir – se desloque até o passado para conhecer e tentar influir no destino dos antepassados.

"No princípio, quando não se tem a capacidade de sonhar, talvez haja um vazio. Uma escuridão ou um clarão." Ao perceber o seu próprio corpo aumentar, da condição de uma bola gelatinosa e grudenta até  uma espécie de gergelim indefinido, o feto escuta murmúrios e "desconfia" que exista alguém além dele no universo que habita. Aos poucos aprende que as "paredes do seu quarto" estão se movimentando e que existe uma m…
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...