Postagens

Cida Pedrosa - Solo para vialejo

Imagem
Cida Pedrosa - Solo para vialejo - Cepe Editora - 125 Páginas - Projeto gráfico e capa de Luiz Arrais - Lançamento: 17/10/2019.
Cida Pedrosa inventou um jeito diferente de falar do Brasil – e, por que não, dela mesma – a partir de um longo e ambicioso poema que começa em uma época na qual índios e negros fugiam do litoral para o sertão, após a chegada dos brancos invasores "com suas naus cheias de dores e prisões", uma história que vai avançando no tempo a partir de fragmentos de memória e referências musicais e que não se encontra em manuais de antropologia ou sociologia. 

Difícil explicar em poucas palavras a experiência poética e musical da autora neste livro. Segundo o texto de divulgação da editora, trata-se de "um poema épico-lírico sobre uma viagem em busca da própria identidade", bom resumo sem dúvida, mas insuficiente para explicar essa epopeia mestiça que a autora construiu com base na sua vivência. Talvez melhor definição seja da ensaísta e crítica literár…

Lourenço Dutra - Os Aliciadores

Imagem
Lourenço Dutra - Os Aliciadores (2ª Edição) - Editora Penalux - 222 Páginas - Capa de Edson Fogaça - Apresentação: Camila Almeida - Lançamento: 2019.

O brasiliense Lourenço Dutra nos apresenta dois personagens, Alberto e Dioclécio, especialistas na arte do convencimento ou, de uma maneira mais clara, aliciadores, contratados pelo comitê de campanha do candidato a governador do Distrito Federal Jorge Boriz – qualquer semelhança com pessoas e situações da vida real será uma mera coincidência? – paraconseguir eleitores dispostos a transferir o título de outros Estados em troca do recebimento de um lote de terra, materiais de construção e promessa de emprego nas pequenas e remotas cidades do Distrito Federal, uma espécie de curral eleitoral, prática antiga do coronelismo.

A dupla de aliciadores já tem alguma experiência anterior na atividade e, dessa vez, o alvo é a pequena cidade de Ibotirama do Leste, no interior da Bahia, para onde eles partem em busca de eleitores que estejam dispostos …

Os melhores livros e resenhas de 2019

Imagem
Mais uma vez é chegado o momento das listas de final de ano. Esta não reflete somente os lançamentos de 2019, mas também as melhores resenhas de livros publicadas em ordem cronológica, como sempre com base apenas no meu gosto — sigam os links clicando no título dos livros para ler as resenhas completas. Desejo a todos um ótimo 2020 com muita literatura, cultura e arte em geral. Conto com a presença de vocês no Mundo de K!

(01) Arundhati Roy - O Ministério da Felicidade Absoluta(resenha publicada em 06/01/2019)

Ao contar a trajetória de sua protagonista, Anjum, uma hijra ou kinnar, nomes como são chamados os hermafroditas, transexuais e eunucos na Índia, a autora escreve sobre a casta marginalizada, formada por comunidades religiosas hinduístas que praticam castrações de meninos em rituais místicos, tolerada no país onde, contraditoriamente, se considerava, até pouco tempo, um crime o homossexualismo. Só em 2018, a Suprema Corte da Índia descriminalizou a homossexualidade, revogando uma …

Milton Hatoum - Pontos de fuga

Imagem
Milton Hatoum - Pontos de fuga, volume 2 da trilogia O Lugar Mais Sombrio - Editora Companhia das Letras - 312 Páginas - Lançamento: 04/11/2019.

Assim como no primeiro volume da trilogia (A Noite da Espera - Ler aqui resenha do Mundo de K), Milton Hatoum continua se valendo de múltiplas vozes no tempo e espaço ao alternar trechos de diários e cartas dos personagens, que assumem o controle narrativo – quase como em um romance epistolar – e descrevem as experiências de Martim e seus amigos em três cidades: Brasília (1968 a 1973), onde ele cursou o colégio e parte da faculdade; São Paulo (1973 a 1977) para onde fugiu após a prisão de alguns amigos em Brasilia e, por fim, Paris (1979 a 1980), onde vive como exilado político, lembrando e escrevendo sobre o passado no Brasil.

Esta segunda parte da trilogia corresponde à época em que Martim retorna para São Paulo, cidade onde nasceu e passou a infância e também onde ocorrerá a perda da ingenuidade que coincide com o período mais difícil da dit…

Vencedores do Prêmio Oceanos 2019

Imagem
Divulgados os três romances vencedores do Prêmio Oceanos de Literatura, versão 2019. Luanda, Lisboa, Paraíso, da escritora portuguesa nascida em Angola Djaimilia Pereira de Almeida, ficou com o primeiro lugar, seguido por Eliete - A Vida Normal, da portuguesa Dulce Maria Cardoso, e Sorte, da brasileira Nara Vidal.

Djaimilia Pereira de Almeida nasceu em Luanda, Angola, e cresceu nos arredores de Lisboa, Portugal. Além deste, é autora dos livros Esse cabelo, Ajudar a cair, Pintado com o Pé e A visão das plantas. Participou da programação oficial da Flip 2017.

Dulce Maria Cardoso nasceu em Fonte Longa, Trás-os-Montes, Portugal, em 1964. Aos seis meses de idade mudou-se para Luanda, Angola, de onde retornou após a descolonização e com o início da guerra civil no país. Publicou, entre outros, os romances Campo de Sangue, Os meus sentimentos e O retorno, e os livros de contos Até nós e Tudo são histórias de amor.

Nara Vidal nasceu em Guarani, Minas Gerais, em 1974, e vive em Londres desde 2001…

Chico Buarque - Essa gente

Imagem
Chico Buarque - Essa gente - Editora Companhia das Letras - 200 Páginas - Capa e projeto gráfico de Raul Loureiro - Lançamento: 09/11/2019.

O lançamento do sexto romance de Chico Buarque ocorre no ano em que o cantor, compositor, poeta e escritor se consagrou ao receber o Prêmio Camões, uma das distinções mais importantes da área de literatura em língua portuguesa. Essa gente vai surpreender o público pela linguagem simples e ritmo veloz, características pouco comuns nas obras anteriores do autor, normalmente de estrutura narrativa mais formal. O livro é constituído por blocos de texto na forma de entradas de diário, alternando cartas e mensagens, diálogos e trechos de conversas telefônicas, no período entre dezembro de 2016 e setembro de 2019. 

Ao focar a ação no tempo presente, o autor corre o risco de assumir uma literatura panfletária em função da atual tendência de polarização política, uma vez que Chico Buarque é um dos alvos prediletos da direita, contudo, no final, ganha o leito…

Vencedores do Prêmio Jabuti 2019

Imagem
Divulgados os vencedores da 61ª edição do Prêmio Jabuti. O livro Uma história da desigualdade (Hucitec), de Pedro Ferreira de Souza, levou o prêmio principal da noite e também o primeiro lugar da categoria Humanidades.

Na categoria Romance, o vencedor foi O pai da menina morta (Todavia), de Tiago Ferro. Na categoria Crônica, venceu Pós-F (LeYa), de Fernanda Young. Em Contos, Um beijo por mês (Luna Parque), de Vilma Arêas. Jorge Amado: uma biografia (Todavia), de Josélia Aguiar, ganhou o troféu de Biografia.

Segue abaixo a relação completa de vencedores de cada uma das categorias:
Conto: 
Um beijo por mês - Vilma Arêas - Editora: Luna Parque

Crônica: 
Pós-F: para além do masculino e do feminino - Fernanda Young - Editora: LeYa

Histórias em Quadrinhos: 
Graphic MSP - Jeremias: Pele - Rafael Calça, Jefferson Costa - Editora: Panini, Mauricio de Sousa

Infantil: 
A Avó Amarela - Júlia Medeiros, Elisa Carareto - Editora: ÔZé Editora

Juvenil: 
Histórias guardadas pelo rio - Lúcia Hiratsuka - Editora…

Leonardo Padura - Hereges

Imagem
Leonardo Padura - Hereges - Boitempo Editorial - 512 Páginas - Tradução de Ari Roitman e Paulina Wacht - Capa de Ronaldo Alves - Lançamento no Brasil: 2015

Depois do grande sucesso de público e crítica de seu romance histórico O homem que amava os cachorros e também do policial A neblina do passado (sigam os links para as respectivas resenhas do Mundo de K), Leonardo Padura se tornou um dos escritores cubanos mais conhecidos no Brasil. Em Hereges o leitor reencontrará um dos personagens mais famosos e carismáticos do autor, o detetive Mario Conde, um escritor frustrado que, após a sua saída dos quadros da polícia local, sobrevive à base de expedientes, comprando e vendendo livros usados, assim como boa parte da população de Havana, uma geração desiludida com os rumos da revolução.

Lançado originalmente em 2013, o livro combina os dois estilos – romance histórico e policial noir – em um ambicioso projeto narrativo que conecta uma série de fatos e personagens ao longo de muitas épocas, to…

Patti Smith - O ano do macaco

Imagem
Patti Smith - O ano do macaco - Editora Companhia das Letras - 168 Páginas - Traduçao de Camila von Holdefer - Capa de Fabio Uehara - Foto de capa: Barre (Skills) Durya Lançamento: 28/10/2019.
Assim como Just Kids, vencedor do National Book Award de 2010 e Linha M, seus dois livros anteriores lançados no Brasil, O ano do macaco também não pode ser classificado em uma única categoria, seja autobiografia, ficção, ensaio ou poesia, apresentando uma mistura de todas elas ao mesmo tempo, assim como a performática poeta, compositora, escritora e artista plástica Patti Smith, sem falar nas citaçoes musicais e literárias que extrapolam em muito as referências locais da cultura norte-americana.

Por outro lado, a autora exercita uma técnica pouco explorada nas suas outras obras, a influência do inconsciente ou um certo estado alucinatório na narrativa, fazendo com que o limite entre sonho e realidade se torne indistinto. A prosa poética original foi preservada na excelente tradução de Camila von …

Vencedores do Prêmio São Paulo de Literatura 2019

Imagem
Divulgados os vencedores da 12ª edição do Prêmio São Paulo de Literatura, versão 2019. A premiação, promovida pelo Governo do Estado de São Paulo, foi dividida este ano em duas categorias: “Melhor Romance de Ficção do Ano de 2018” e “Melhor Romance de Ficção de Estreia do Ano de 2018”, cada um receberá um prêmio de R$ 200 mil. Mesmo com a redução de uma categoria neste ano, ainda é o maior concurso literário do Brasil em premiação individual para o gênero.

Na categoria de “Melhor Romance de Ficção do Ano de 2018” a carioca Ana Paula Maia levou pela segunda vez seguida o Prêmio São Paulo de Literatura, dessa vez com Enterre Seus Mortos (Editora Companhia das Letras). Ela já havia vencido em 2018 com o livro Assim na Terra Como Embaixo da Terra. Na categoria de “Melhor Romance de Ficção de Estreia do Ano de 2018” o vencedor foi Tiago Ferro com O Pai da Menina Morta (Editora Todavia).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...