Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2021

Crimes Impossíveis - Seleção de Braulio Tavares

Imagem
Crimes Impossíveis - Seleção, tradução e prefácio de Braulio Tavares - Editora Bandeirola - 320 Páginas - Edição de Sandra Abrano - Projeto Gráfico, capa, diagramação: Thaís de Bruyn Ferraz - Lançamento: 2021. Uma antologia de contos policiais que reúne autores como Edgar Wallace, R. Austin Freeman, L. Frank Baum, Melville Davisson Post, Maurice Leblanc, Jacques Futrelle, Arthur Conan Doyle, Sheridan Le Fanu, Edgar Allan Poe e G. K. Chesterton é uma indicação certa para alguns momentos de boa leitura, ainda mais porque a seleção foi feita com base na biblioteca pessoal de um escritor como Braulio Tavares, um mestre na literatura fantástica; e uma particularidade inédita em antologias deste tipo no Brasil: todos os contos têm em comum o crime impossível, ou de "quarto fechado" no qual uma pessoa é encontrada morta dentro de um quarto trancado por dentro e do qual o criminoso, pela lógica, não poderia ter entrado e saído. A seleção apresenta contos já considerados clássicos da

Cesar Garcia Lima - Bastante aos gritos

Imagem
Cesar Garcia Lima - Bastante aos gritos - Editora 7Letras - 124 Páginas - Ilustração de capa: Danilo de S'Acre, Retrato de homem em rosa , 2020 - Lançamento: 2021. Em tempos sombrios a poesia nao pode silenciar, seja exercendo o papel de oposição às f ake news , fenômeno recorrente nas redes sociais, como no oportuno poema "Fez que nius" que nos lembra como a política verde e amarela às vezes dá vontade de gritar: "excelências prontas para defender / a própria mediocridade / em dinheiro vivo"; o u no contraste entre a dura realidade cotidiana e a lembrança do pai, eternizado na ausência, como nos sensíveis versos de "Duplo", memórias de um passado já distante: "bem antes desses dias nublados, / em que o mal se confunde / com mandato". "Bastante aos gritos" é o criativo título do quarto livro de poemas do acreano Cesar Garcia Lima, poeta, professor e jornalista, dividido em cinco partes: “Agora interminável” , “Nome aos boys" ,

Matheus Peleteiro - Pro Inferno com Isso

Imagem
Matheus Peleteiro - Pro Inferno com Isso - Edição do Autor - 148 Páginas - Arte de Capa: Themis Lima - Fotografia de Capa: João Regis Novaes - Lançamento: 2019. Matheus Peleteiro é um jovem escritor apaixonado pelo estilo do romancista, contista e poeta genial Charles Bukowski (1920-1994) – que era também alcoólatra, jogador e vagabundo –, um homem "inadequado" para qualquer padrão imposto pela sociedade, mas que soube como poucos nos transmitir esta faísca que incendeia o espírito em qualquer tempo. Nesta antologia de contos, " Pro Inferno com Isso" , desde o título percebemos a influência de Henry Chinaski, alter ego do velho bêbado, assim como em muitas das narrativas e personagens do livro, especialmente como o fantasma-protagonista no conto "Um encontro com o velho" . Buscando cativar a atenção do leitor com narrativas velozes e diálogos bem encadeados, Matheus Peleteiro demonstra estar no caminho certo, contudo  precisa amadurecer a técnica e encontr

Alberto Manguel - Encaixotando minha biblioteca

Imagem
Alberto Manguel - Encaixotando minha biblioteca: Uma elegia e dez digressões - Editora Companhia das Letras - 184 Páginas - Capa de Ale Kalko - Lançamento: 2021. Em 2000, o ensaísta, romancista, tradutor e editor Alberto Manguel comprou um presbitério medieval na França, e construiu uma biblioteca para alojar um acervo de 35.000 livros. A biblioteca foi desativada em 2015, devido à mudança para Nova York e o convite para Manguel exercer o cargo de Diretor da Biblioteca Nacional da Argentina.  A última notícia que li sobre o destino desta biblioteca, agora com 40.000 livros, é que ganhará um espaço definitivo em Lisboa como parte do Centro de Estudos sobre a História da Leitura, podendo ser finalmente libertada dos caixotes.  Encaixotando minha biblioteca  é inspirado na relação de toda uma vida do autor com os livros. Na verdade, Alberto Manguel não é um bibliófilo como José Mindlin , ele está mais para Umberto Eco e Jacques Bonnet , sem a seriedade de um colecionador profissional, ma

Roberto Bolaño - A Universidade Desconhecida

Imagem
Roberto Bolaño - A Universidade Desconhecida - Editora Companhia das Letras - 832 Páginas - Tradução de Josely Vianna Baptista - Capa: Raul Loureiro - Imagem de capa: Paisagem com caminho, de Rodrigo Andrade, 2019 - Lançamento: 2021. Roberto Bolaño (1953-2003) se tornou mundialmente conhecido após o lançamento de seus monumentais romances  2666 e Os detetives selvagens . 2666 , por exemplo, foi publicado postumamente na Espanha em 2004 e alcançou um tremendo êxito editorial após a tradução americana, lançada nos EUA em 2008, eleito o livro do ano pela Time Magazine e vencedor do National Book Critics Award daquele ano, elevou o autor chileno (e que então todos imaginavam ser mexicano) à categoria de mito literário, comparado somente aos escritores da geração beat.  Tanto sucesso na prosa ofuscou o talento de Roberto Bolaño como poeta, apesar dele ter mantido uma produção constante de poesia por toda a vida, refletindo a solidão do exílio e a aproximação da morte prematura, como fica c

Fábio Mariano - Ruído Branco

Imagem
Fábio Mariano - Ruído Branco - Editora Patuá / Ofícios Terrestres - 176 Páginas - Capa e Projeto gráfico de Janaína Cristina Guerra Martins - Fotografia de capa: Ruído Branco , de Giulia Brasil - Lançamento: 2021. Os contos neste mais recente lançamento de Fábio Mariano são ambientados, assim como nos livros anteriores:  O Gelo dos Destróieres  e  Habsburgo ,  na fictícia cidade de Cartago, segundo o autor inspirada em Campinas, São Paulo, e seus entornos; narrativas que são o " fruto de uma série de lugares e pessoas reais que não estão representados nas suas páginas, mas sem os quais não seria possível tê-la moldado." No entanto, tempo e espaço são conceitos subvertidos na prosa experimental do autor e o cenário pode ser um bar chamado Espetinho do Polaco em Cartago, Praga, Düsseldorf, Buenos Aires ou até mesmo a remota região montanhosa dos Cárpatos. Na verdade, não há zona de conforto para o leitor em  Ruído Branco que é dividido em três partes: Glaciar , Distância e P

José J. Veiga - Contos reunidos

Imagem
José J. Veiga - Contos reunidos - Editora Companhia das Letras - 536 Páginas - Capa: Kiko Farkas / Máquina Estúdio - Ilustração da capa: Deco Farkas - Cronologia de Érico Melo - Posfácio de Socorro Acioli - Lançamento: 2021. Este lançamento é uma justa homenagem a um dos maiores prosadores da literatura brasileira e também oportunidade para as novas gerações conhecerem a obra de José J. Veiga (1915-1999). A antologia reúne os contos publicados em Os Cavalinhos de Platiplanto (1959), A Estranha Máquina Extraviada (1967) e Objetos Turbulentos (1997), assim como uma seleção de textos publicados em jornais e revistas no período de 1941 a 1989, sendo complementada por um posfácio esclarecedor de Socorro Acioli e cronologia biográfica de Érico Melo. Nas narrativas curtas o autor é dono de um estilo único que mescla as reminiscências da sua infância na área rural com um realismo por vezes brutal, sendo por isso considerado em algumas coletâneas – erroneamente ao meu ver – tanto no gênero i

Carla Bessa - Minha Murilo

Imagem
Carla Bessa - Minha Murilo - Editora Urutau - 148 Páginas - Capa e diagramação: Victor Prado Imagem de capa: right and left (1909) - Winslow Homer - Lançamento: 2021 O mais recente lançamento de Carla Bessa é uma novela que mantém a urgência e a força dos contos do premiado Urubus (Jabuti de 2019). Em Minha Murilo , a autora aborda a questão de gênero e identidade em um thriller sobre sequestro no qual vítima e agressor estabelecem entre si uma relação de dependência muito além da identificação emocional entre sequestrado e sequestrador, tão característica da Síndrome de Estocolmo. Neste livro, o leitor acompanha o processo de desconstrução ou transformação dos personagens para sobreviver a um passado de violência e inadequação familiar. Sasha é uma travesti que faz ponto nas ruas da Glória no Rio de Janeiro. Ela é sequestrada por um homem solitário que construiu um cativeiro em um porão de sua casa: "Sasha está sentada numa poltrona e entreabre as pálpebras inchadas com esforço