Postagens

Mostrando postagens de 2020

William Shakespeare - A tragédia de HAMLET, príncipe da Dinamarca

Imagem
William Shakespeare - A tragédia de HAMLET, príncipe da Dinamarca - Tradução de Leonardo Afonso - Editora Chiado - 244 Páginas - Coleção Bastidor - Composição gráfica de Rui Revez - Capa de Isa Afonso - Lançamento: Abril, 2020. O legado do poeta, dramaturgo e ator inglês William Shakespeare (1564-1616) é fundamental não apenas para as artes e a literatura inglesa, mas representa também uma grande influência para a cultura mundial, encenado e publicado em vários idiomas, está sempre originando novas adaptações para o teatro, cinema ou referências em diversas áreas da atividade humana, inclusive na psicanálise. Segundo o renomado crítico Harold Bloom (1930-2019), um dos seguidores da "bardolatria", mais do que uma força da natureza, o mestre William Shakespeare é a própria natureza: "Em Shakespeare, não temos um sábio, nem um crente, mas uma consciência tão vasta que não tem, em absoluto, concorrente: seja em Cervantes ou Montaigne, em Freud ou Wittgenstein. Aqueles que es…

Ney Anderson - O espetáculo da ausência

Imagem
Ney Anderson - O espetáculo da ausência - Editora Patuá - 176 Páginas - Ilustração, Projeto gráfico e Diagramação: Leonardo Mathias - Lançamento: 2020.
Esta antologia de contos, livro de estreia do escritor, jornalista e crítico literário Ney Anderson, vem com um invejável e duplo certificado de qualidade: uma elogiosa apresentação de Raimundo Carrero, assim como um prefácio de Luiz Antonio de Assis Brasil, dois dos mais conhecidos e renomados escritores e mestres de escrita criativa em oficinas literárias no nosso país. Neste livro, o Recife é apresentado como uma cidade sombria e chuvosa, cenário de histórias no gênero fantástico onde os personagens sofrem com a violência urbana e o próprio vazio existencial em um constante espetáculo da ausência no qual a vida se transforma às vezes.
Um corpo de mulher boiando no rio Capibaribe ou a misteriosa morte de um escritor que havia deixado um romance inédito em estilo hiper-realista, são exemplos de conexões entre os contos sutilmente deixad…

Cinthia Kriemler - O sêmen do rinoceronte branco

Imagem
Cinthia Kriemler - O sêmen do rinoceronte branco - Editora Patuá - 128 Páginas - Ilustração, Projeto gráfico e Diagramação de Leonardo Mathias - Lançamento: 2020.
O sêmen do rinoceronte branco é o título de um dos melhores contos na mais recente antologia de Cinthia Kriemler, inspirada por um fato verídico ocorrido em 2018, quando Sudan, o último rinoceronte-branco do norte, morreu no Quênia aos 45 anos, por meio de eutanásia, em um santuário natural – nada mais do que "um cativeiro cercado de boas intenções" – e o seu material genético foi congelado para o futuro.
O conceito de extermínio é ampliado dos caçadores no Quênia – que promoveram a extinção desta majestosa subespécie – até os estupradores do Boko Haram na Nigéria, passando pela destruição na Síria, que gera refugiados como o pequeno Aylan Kurdi de apenas três anos, encontrado morto em uma praia na costa da Turquia, até os constantes assassinatos por "balas perdidas" no Morro do Alemão, Rio de Janeiro, onde…

Diego Vinhas - Corvos contra a noite

Imagem
Diego Vinhas - Corvos contra a noite - Editora 7 Letras - 116 Páginas - Capa de Bruno Brum sobre mural Rage against the machine (Lisboa, 2012) de Daniel Eime - Lançamento: 2020.
É preciso esperança e paciência para chegarmos ao final deste maldito ano de 2020, mas alerto que neste livro você não encontrará subterfúgio ou qualquer tipo de fuga da realidade, pelo contrário, aqui a poesia de Diego Vinhas não se conforma e avança contra as trevas, lançando um necessário grito de ódio contra a injustiça e arbitrariedade de um sistema cruel, como no profético poema Ano do cachorro que nos lembra o "peso faminto do real" tão presente em nosso tempo, particularmente neste "ano manco".
Na apresentação de Tarso de Melo encontramos uma oportuna lembrança: "a poesia não é uma forma de fugir do mundo, mas sim de invadi-lo, de atacá-lo", particularmente em nosso caso – vivendo em uma sociedade que normalmente prefere ignorar a realidade – torna-se ainda mais importante e…

Zeka Sixx - Tudo o que poderíamos ter sido

Imagem
Zeka Sixx - Tudo o que poderíamos ter sido - Editora Coralina - 216 Páginas - Diagramação, projeto gráfico e capa: Angel Cabeza - Lançamento: 2020.
Na cidade de Porto Alegre, em 2016, assim como em todo o país, ocorre um fenômeno de polarização política decorrente do processo de impeachment de Dilma Rousseff com reações na sociedade brasileira oscilando entre a alienação e o ódio. É este o cenário no qual Zeka Sixx posiciona seus personagens, representantes de uma classe média sem esperanças e vivendo em um eterno tempo presente de sexo, drogas e Rock'n Roll. O autor utiliza os recursos de uma linguagem coloquial e explícita, capturando a atenção do leitor com um estilo cinematográfico de alta velocidade narrativa, lembrando os textos de Clara Averbuck e a energia de Charles Bukowski.
Cada capítulo é conduzido em primeira pessoa, alternando vozes femininas e masculinas e pode ser lido de forma independente como se fosse um conto mas, aos poucos, as relações entre os personagens se t…

calí boreaz - tesserato

Imagem
calí boreaz - tesserato - Editora Caos e Letras - 108 Páginas - Projeto Gráfico: Cristiano Silva - Arte de Capa: Eduardo Sabino - Lançamento: 2019.
Para tentar explicar o efeito de uma quarta dimensão, além do universo tridimensional conhecido, formado por largura, comprimento e profundidade, utiliza-se o efeito de uma figura geométrica que não existe na realidade, chamada de tesserato ou hipercubo. O conceito básico parte do princípio de que, assim como o quadrado é formado por linhas perpendiculares e o cubo é constituído por quadrados perpendiculares, o tessarato é gerado por cubos perpendiculares em uma suposta quarta dimensão, simultaneamente perpendicular às outras três.
Uma interessante característica do tesserato é que, apesar de não mudar de forma, podemos vê-lo de maneiras diferentes, segundo nosso ponto de vista. Assim, começa a fazer sentido a relação dessa curiosa abstração geométrica com a poesia de calí boreaz que também parte de elementos básicos, transformando os concei…

Jorge Sá Earp - As amarras

Imagem
Jorge Sá Earp - As amarras - Editora 7 Letras - 176 Páginas - Foto de capa Nathan Dumlao / Unsplash - Lançamento: 26/03/2020.
Eusébio é um arquiteto insatisfeito com a profissão e o casamento com Aglaia, antiga amiga de infância; uma união que foi resultante apenas das pressões familiares e sociais para manter os padrões de comportamento supostamente normais de uma classe média tradicional. Afinal, apesar dos avanços na área do reconhecimento da divesidade sexual, ainda existe o preconceito contra a comunidade LGBT, o que provoca relações artificiais como a descrita aqui.
As amarras que impedem a felicidade de Eusébio bem poderiam levar o romance para um caminho trágico, mas a condução da narrativa de forma bem-humorada e em primeira pessoa, torna a leitura leve e divertida ao acompanharmos os erros e acertos do protagonista para realizar os seus desejos reprimidos. Ao começar a escrever peças de teatro, ele conhece Fabiano, um jovem ator por quem se apaixona, e acaba descobrindo a sua …

Lucila Losito Mantovani - Com o corpo inteiro

Imagem
Lucila Losito Mantovani - Com o corpo inteiro - Editora Pólen - 168 Páginas - Projeto Gráfico: Bloco Gráfico - Lançamento: 2019.
Surpreende a força e a originalidade da prosa de Lucila Mantovani em seu romance de estreia e nos deixamos levar pela correnteza do rio caudaloso formado por uma sequência de frases curtas e de expressão poética que formam uma densa narrativa, oscilando entre o passado e o presente de uma protagonista que parece resgatar as vivências da própria autora, assim como as mazelas sociais do nosso país, herança de um colonialismo predador, como nesta passagem: "Uma nação precisa ser capaz de reciclar o lixo que gerou no passado, antes de reclamar do cheiro ruim no corredor. Injustiças se ajustam ou se perpetuam com o tempo?"
Marcada por uma história familiar de separação dos pais, a protagonista se envolve em uma difícil relação afetiva com um parceiro emocionalmente instável e desenvolve um lento processo de aprendizado e aceitação do próprio corpo por mei…

Vencedores do Prêmio Sesc de Literatura 2020

Imagem
Divulgados os vencedores da 17ª edição do Premio Sesc de Literatura. Tônio Caetano, de Porto Alegre, foi o vencedor na categoria Conto com seu livro Terra nos cabelos e Caê Guimarães, do Rio de Janeiro, com a obra Encontro você no oitavo round, na categoria Romance. Esta edição recebeu 1.358 inscrições, sendo 666 coletâneas de contos e 692 romances. A avaliação final foi das comissões formadas pelos escritores e críticos literários: Renata Pimentel e Samarone Lima (romance) e Ana Paula Maia e Marcelo Moutinho (conto). Segue abaixo algumas informações sobre os autores e as obras vencedoras conforme divulgado pela organização da premiação.
Sinopse de Terra nos cabelos de Tônio Caetano: No volume de contos, são trilhados diferentes percursos da mulher na nossa sociedade, envolvendo questões que abordam o mundo do trabalho, o primeiro beijo, ritos de iniciação e as violências externas e internas submetidas ao sexo feminino. / Biografia do autor: Tônio Caetano nasceu em Porto Alegre/RS, em …

Jonathan Swift - Viagens de Gulliver

Imagem
Jonathan Swift - Viagens de Gulliver - Editora Companhia das Letras - 448 Páginas - Tradução de Paulo Henriques Britto - Prefácio de George Orwell - Lançamento no selo Penguin-Companhia: 2010.
Segundo Italo Calvino (1923-1985), "Um clássico é um livro que nunca terminou de dizer aquilo que tinha para dizer" (Por que ler os clássicos - 1991), este é precisamente o caso de Viagens de Gulliver do irlandês Jonathan Swift (1667-1745). Lançado anonimamente em 1726, como uma grande sátira política e social, ainda pode ser considerado atual.
Não deixa de ser curioso que um livro com uma mensagem tão amargurada e pessimista sobre a natureza humana, tenha se tornado, talvez por força das inúmeras adaptações simplificadoras, um clássico da literatura infanto-juvenil, mas a sua importância excede qualquer classificação, seja romance, ficção científica ou aventuras. Uma ótima edição da Penguin-Companhia, com prefácio de George Orwell e tradução de Paulo Henriques Britto, que utilizou apena…

Grada Kilomba - Memórias da Plantação

Imagem
Grada Kilomba - Memórias da Plantação: Episódios de Racismo Cotidiano - Editora Cobogó - 249 Páginas -  Capa de Rara Dias e Paula Delecave (foto de Zé de Paiva) - Tradução: Jess Oliveira - Lançamento: 2019.
A escritora e psicóloga portuguesa Grada Kilomba – com origens em Angola e São Tomé e Príncipe – é militante do feminismo negro e autora de Memórias da Plantação: Episódios do racismo cotidiano, livro publicado originalmente em inglês em 2008, que avalia o racismo e seus impactos sobre raça, gênero e classe. "Descolonizar o conhecimento" é a ideia que move esta obra, sabendo que, ainda hoje, todos os "conceitos de conhecimento, erudição e ciência estão intrinsicamente ligados ao poder e à autoridade racial", relegando o pensamento negro a discursos marginais, fora do contexto acadêmico.
Grada Kilomba aborda questões importantes sobre as formas contemporâneas do racismo que adaptou as antigas concepções do colonialismo, apelativas de uma falsa "superioridade b…

Raphael Montes - Dias perfeitos

Imagem
Raphael Montes - Dias perfeitos - Companhia das Letras - 280 Páginas - Capa: Retina 78 - Lançamento: 2014.
Raphael Montes surpreendeu público e crítica quando lançou em 2012, com apenas 20 anos, seu primeiro romance de suspense policial, Suicidas, finalista dos prêmios: Benvirá de Literatura (2010), Machado de Assis (2012) e São Paulo de Literatura (2013). Dias perfeitos, lançado em 2014 foi o segundo romance na carreira do autor e também se tornou um sucesso imediato de vendas e direitos de tradução negociados com 22 países, consolidando um estilo vibrante de diálogos velozes e precisos, assim como temas violentos e muitas reviravoltas, sem que o leitor consiga interromper a leitura do início ao final do livro.

Em Dias perfeitos acompanhamos em detalhes as decisões na mente de um protagonista psicopata que, em nome de um amor mórbido, justifica com uma lógica fria e calculista todos os meios para atingir seus objetivos. Téo é um estudante de medicina de 22 anos que vive com a mãe parap…