Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2019

Sidney Garambone - Fausto Tropical

Imagem
Sidney Garambone - Fausto Tropical - Editora 7Letras - 264 Páginas - Capa de Alice Garambone -  Introdução de Pedro Bial - Lançamento: 01/04/2019. Um dos personagens mais recorrentes na literatura universal, o Demônio (sim, ele mesmo, o príncipe das trevas) permanece inspirando até hoje ótimos contos e romances. Johann Wolfgang von Goethe publicou a primeira parte do longo poema  Fausto, uma tragédia em 1808 com base em uma antiga lenda alemã, esta obra foi revisitada em 1947 por Thomas Mann com o romance  Doutor Fausto , que ganhou conotações políticas e históricas devido ao conturbado período da Segunda Grande Guerra. O mito de Fausto acabou chegando até o nosso genial Guimarães Rosa que soube expressar no épico Grande sertão: veredas  o impasse metafísico entre o bem e o mal, enfrentado pelo protagonista e narrador Riobaldo, ex-jagunço, na forma de um suposto pacto com o Diabo em pleno sertão brasileiro. Neste seu segundo romance, Fausto Tropical , Sidney Gar

Jokha Alharthi leva o Man Booker International Prize 2019

Imagem
Jokha Alharthi é a vencedora do Man Booker International Prize versão 2019.    Ela é a primeira escritora do Omã a ser traduzida para o inglês e também a primeira autora do Golfo Pérsico a ganhar o prêmio.  O romance  Celestial Bodies trata de relações familiares por meio da  história de três irmãs que moram na aldeia de al-Awafi — Mayya, que se casa com um pretendente de uma família rica depois de um desgosto de amor; Asma, que casa por dever; e Khawla, que espera pelo retorno de um homem que emigrou para o Canadá. Jokha Alharthi é inédita em língua portuguesa, mas certamente alguma editora, no Brasil ou Portugal, se interessará em divulgar sua obra. Para conhecer mais sobre ela, recomendo visitar o site oficial, onde há uma citação em destaque de Virginia Woolf:  "But there is no gate, no lock, no bolt that you can set upon the freedom of my mind." , inspirador não é mesmo? A versão internacional do Man Booker, um dos mais conceituados prêmios em língua inglesa,

Chico Buarque - Prêmio Camões 2019

Imagem
O cantor, compositor e escritor Chico Buarque, 74 anos, é o vencedor do Prêmio Camões 2019, um dos maiores reconhecimentos da literatura em língua portuguesa. Ele é o 13º brasileiro a receber a honraria, passando a integrar um seleto time de autores já premiados: Raduan Nassar (2016), Alberto da Costa e Silva (2014), Dalton Trevisan (2012), Ferreira Gullar (2010), João Ubaldo Ribeiro (2008), Lygia Fagundes Telles (2005), Rubem Fonseca (2003), Autran Dourado (2000), António Cândido de Mello e Sousa (1998), Jorge Amado (1995), Rachel de Queiroz (1993) e João Cabral de Melo Neto (1990).  Já consagrado em sua brilhante carreira musical, Chico Buarque tem uma produção literária consistente com obras de dramaturgia, poemas e os premiados romances: Estorvo (1991), Benjamim (1995), Budapeste (2003), Leite Derramado (2009) e O Irmão Alemão (2014). Logo, é bom que se diga que qualquer comparação com a polêmica premiação do músico e genial letrista Bob Dylan ao Prêmio Nobel de Literat

Lilia Guerra - Perifobia

Imagem
Lilia Guerra - Perifobia -  Editora Patuá - 308 Páginas - Ilustração, Projeto gráfico e Diagramação de Leonardo Mathias - Lançamento: 2018.  Perifobia! O neologismo do título já oferece uma pista sobre os temas desenvolvidos por Lilia Guerra nesta compilação de narrativas curtas. A combinação de duas palavras existentes – periferia e fobia – cria uma nova expressão para um sentimento recorrente de preconceito, aversão ou até mesmo indiferença, demonstrado por grande parte da sociedade frente à população crescente de excluídos nas comunidades carentes dos grandes centros urbanos brasileiros.  A falta de espaço na literatura contemporânea para dar voz a essas pessoas que têm a sua existência limitada apenas a um teimoso exercício de sobrevivência – salvo raras exceções em autores como Luiz Ruffato e Marcelino Freire – só demonstra que a tal fobia existe mesmo, ajudando a perpetuar um eterno estado de injustiça social.  Este livro nos coloca do lado de dentro deste universo e, ap es

Daniela Stoll - Do lado de dentro do mar

Imagem
Daniela Stoll - Do lado de dentro do mar - Editora Patuá - 164 Páginas - Ilustração, Projeto Gráfico e Diagramação: Luyse Costa - Apresentação de Sheyla Smanioto. Lançamento: 2018. No seu romance de estreia, Daniela Stoll divide o protagonismo entre três mulheres de origens bem distintas: Sílvia, Margarete e Joaquina. Por força das circunstâncias, elas estabelecem um convívio e constroem uma relação de confiança e apoio mútuo. No entanto, apesar das diferenças de idade, educação e formação social, as personagens compartilham entre si uma mesma "solidão fundamental de ser mulher" ao enfrentar desafios semelhantes para conhecer e assumir a própria sexualidade e o seu papel na sociedade, ou seja, "a disputa dos espaços e dos corpos", como bem destacado por Sheyla Smanioto na apresentação. O evento que dá início à narrativa é a separação entre Sílvia e André, uma decisão definitiva de Sílvia contestada pelo companheiro, que planeja uma obsessiva estratégia de p

Os 20 livros mais polêmicos da história

Imagem
Existem muitos motivos para que um livro se torne polêmico: contestação de valores morais de uma determinada época, crítica a sistemas políticos e instituições religiosas, ameaças a um padrão definido como normal pela sociedade ou um sistema de governo. Nesses casos os autores podem sofrer sérias restrições à sua liberdade de expressão. Por outro lado, a censura tende a despertar o interesse do grande público, alcançando um efeito oposto ao desejado originalmente.  A seleção abaixo apresenta, em ordem cronológica, as obras que provocaram, de alguma forma, o pensamento dominante em algum momento da história. (01) O Príncipe (1532)          Nicolau Maquiavel (1469-1527)  Um clássico de 500 anos da filosofia que inaugurou a ciência política moderna. Nicolau Maquiavel (1469-1527) com a sua visão talvez muito realista ou pessimista do cenário político de seu tempo resumiu neste "manual para soberanos" os princípios básicos para governar e manter principados, tendo d

Antologia da Literatura Fantástica

Imagem
Antologia da Literatura Fantástica - Organização de Adolfo Bioy Casares, Jorge Luis Borges e Silvina Ocampo - Editora Companhia das Letras - 448 Páginas - Capa e Projeto Gráfico de Daniel Trench - Ilustração da Capa de Marcelo Cipis -  Tradução de Josely Vianna Baptista -  Lançamento: 23/04/2019. A literatura fantástica é uma referência constante na Argentina, escritores como Borges e Cortázar ajudaram a criar uma tradição neste gênero que tem se renovado ao longo do tempo, um bom exemplo desta nova geração é S amanta Schweblin, que foi finalista do Man Booker International Prize em 2017 , juntamente com nomes já consagrados, em outros estilos, como Amós Oz e David Grossman. A Antologia, publicada originalmente em 1940 (mesmo ano do lançamento de A invenção de Morel de Bioy Casares), foi revista e ampliada em 1968, tornando-se um clássico da literatura hispano-americana, apesar das contribuições de várias nacionalidades. Conforme o prólogo, escrito por Bioy Casares, a ideia