Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2021

Ronaldo Cagiano - Cartografia do Abismo

Imagem
Ronaldo Cagiano - Cartografia do Abismo - Laranja Original Editora - 192 Páginas Projeto Gráfico: Marcelo Girard - Lançamento: 2020. A poesia de Ronaldo Cagiano tem como inspiração a fragilidade do homem contemporâneo em sua "solidão ambulante" diante de temas clássicos como a passagem do tempo (" O tempo, / esse morcego cego / a nos predar" - Memento Mori - p. 15 ) e a morte ("A morte é esta certeza exata e simples: / os mortos tão mais vivos do que nós!" - Diagrama - p. 37  ), enquanto a alma do poeta, essa resiste sempre (" Minha alma continua lá, / prisioneira das vertigens, / inquilina dos abismos." - Poema sem explicação - p. 61). No entanto, os versos também refletem temas pessoais, seja nas lembranças de menino em Cataguases, Minas Gerais (" É o Pomba / o rio da minha cidade / que (per)correu minha infância / e ainda (es)corre em minhas veias / fatigadas do inútil navegar." - Relembrando Pessoa - p. 181 ) ou lançando um olhar d

Antônio Xerxenesky - Uma tristeza infinita

Imagem
Antônio Xerxenesky - Uma tristeza infinita - Editora Companhia das Letras - 256 Páginas - Capa: Bloco Gráfico - Imagem de Capa de Célia Euvaldo, óleo sobre tela, 2017 - Lançamento: 2021. A primeira surpresa neste mais recente lançamento de Antônio Xerxenesky é que a trama do romance, situada no período de 1952 a 1953, portanto logo após o final da Segunda Guerra Mundial, não se passa no Brasil, assim como os personagens não são brasileiros. Nicolas é um jovem psiquiatra francês contratado para trabalhar em uma clínica psiquiátrica próxima de um vilarejo na Suíça, para onde ele se muda com a esposa Anna. No entanto, apesar do afastamento de tempo e espaço, algumas situações podem ser associadas aos problemas contemporâneos da nossa sociedade, como a culpa e a responsabilidade histórica diante de escolhas políticas equivocadas, a busca de tratamento para a depressão, ou melancolia como se chamava na época, e as primeiras soluções farmacológicas que prometiam uma cura impossível, transfor

Ana Paula Maia - De cada quinhentos uma alma

Imagem
Ana Paula Maia - De cada quinhentos uma alma - Editora Companhia das Letras 94 Páginas -  Capa de Guilherme Xavier - Lançamento: 2021 O mais recente lançamento da escritora e roteirista carioca Ana Paula Maia, mantém o estilo de seus livros anteriores, com personagens à margem da sociedade, submetidos a uma realidade violenta e cruel. A novela, que pode ser lida separadamente, é o segundo volume da trilogia que teve início com Enterre seus mortos ( Prêmio São Paulo de Literatura 2019 ) e conta com um trio de anti-heróis formado por Edgar Wilson, que trabalha recolhendo corpos de animais das estradas, Bronco Gil, assassino de aluguel, fugitivo de uma colônia penal (personagem de Assim na terra como embaixo da terra , Prêmio São Paulo de Literatura 2018 ) e do ex-padre Tomás, que tem uma forma muito peculiar de entender o bem e o mal, na verdade uma característica comum aos três. Adotando um estilo cinematográfico que poderia ser resumido como um   "faroeste distópico" , a aut

Tiago Germano - Catálogo de pequenas espécies

Imagem
Tiago Germano - Catálogo de pequenas espécies - Editora Caos & Letras - 216 Páginas - Projeto Gráfico: Cristiano Silva - Arte de Capa: Eduardo Sabino - Lançamento: 2021. Com notável domínio da técnica narrativa e uma ironia bem-humorada, Tiago Germano nos mostra a violência, o absurdo e o ridículo da condição humana em uma época na qual o nosso comportamento se aproxima tanto da natureza animal naquilo que ela tem de mais selvagem e, portanto, nos nivelando a outras  espécies pretensamente menos evoluídas. De fato, alguns representantes da espécie conhecida como Homo sapiens não têm feito bom uso de suas características como o raciocínio abstrato, a linguagem e a resolução de problemas complexos. Os vinte contos desta antologia são divididos em duas partes: Taxonomia ,  reunindo narrativas de caráter mais lírico e reflexivo sobre o indivíduo e Cadeia alimentar que tem como base aspectos da nossa vida contemporânea, incluindo a crise política e social, o avanço da igreja evangélica

Marcos Alexandre Faber - A leitora de poesia

Imagem
Marcos Alexandre Faber - A leitora de poesia - Editora Reformatório - 136 Páginas - Design e editoração eletrônica: Negrito Produção Editorial - Imagem de capa: John William Waterhouse, Ophelia - 1899 - Lançamento: 2021. O lançamento de um romance epistolar é um fato raro em nossos dias, contudo existem muitos exemplos na literatura clássica, tais como: "Cartas Portuguesas" (1669), de Mariana Alcofarado ou Gabriel de Guilleragues,  "Os Sofrimentos do Jovem Werther" (1774), de Goethe , "As Ligações Perigosas" (1782), de Choderlos de Laclos – e até mesmo em tempos mais recentes o estilo ainda permanece, apesar das cartas terem caído em desuso, como em  "Precisamos Falar Sobre o Kevin"  (2003), de Lionel Shriver ou   "O Tigre Branco" (2008), de Aravind Adiga. No entanto, o que torna  "A leitora de poesia" um livro único é a utilização na narrativa de um elemento tão anacrônico quanto as cartas e que permeia a relação dos prot