Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2021

Alexandre Meira - Guia de sobrevivência do exilado no próprio país

Imagem
Alexandre Meira - Guia de sobrevivência do exilado no próprio país - Editora Penalux - 148 Páginas - Editoração eletrônica e Capa: Karina Tenório - Lançamento: 2020. É normal que a decepção com o cenário político atual possa estimular sentimentos contraditórios. De um lado, a apatia política e o desejo de isolamento e, no outro extremo, a polarização ideológica, levando a sociedade a uma escolha entre o conformismo ou o ódio. Para sair deste impasse e preservar os valores democráticos é necessário acesso à informação e diálogo, como propõe este livro de Alexandre Meira, uma reunião de cinco crônicas ou pequenos ensaios sobre os eventos marcantes do cenário político nacional nos anos mais recentes, tais como:  as manifestações de rua de 2013, o impeachment de Dilma Rousseff, a  ascensão ao poder da extrema direita conservadora e  o assassinato de Marielle Franco, entre outros. É fácil entender a sensação de exílio no próprio país quando percebemos que antigas amizades, assim como relaçõ

Maíra Valério - Homens que nunca conheci

Imagem
Maíra Valério - Homens que nunca conheci - Editora Patuá - 120 Páginas - Projeto gráfico e Diagramação de Leonardo Mathias - Lançamento: 2020. Maíra Valério nos apresenta em seus contos uma coleção de personagens que definem muito bem a desesperança de uma época na qual passamos a maior parte do dia em frente a uma tela, vivendo em um mundo globalizado, mas estéril de ideias e ideais, permanecendo com o olhar perdido nos aplicativos, sempre conectados e cada vez mais solitários, editando boa parte daquilo que realmente somos para nos transformar no que esperam de nós.  Em uma epígrafe escolhida para um dos contos ( maiúscula - p. 51), a autora destacou uma afirmação visionária da escritora francesa George Sand em uma carta de 1834: "Oculta de mim tua alma, para que eu sempre possa acreditá-la bela", antecipando  tão bem o que fazemos hoje nas redes sociais. Dona de um estilo forte e sincero, como se escrevesse um  diário, Maíra Valério  não demonstra a menor hesitação em rev

Vicente Humberto - Abacates no caixote

Imagem
Vicente Humberto - Abacates no caixote - Editora Ficções - 124 Páginas - Projeto gráfico / capa: Alonso Alvarez - Ilustração de Marcos Benjamim - Lançamento: 2020. Abacates no caixote é uma antologia que cobre trinta anos da produção poética do compositor e poeta mineiro Vicente Humberto em uma caprichada edição com imagens de obras de uma seleção de artistas plásticos, tais como: Carlos Scliar (1920-2001), Amilcar de Castro (1920-2002) e Antônio Poteiro (1925-2010), entre outros, compondo alguns poemas ilustrados. Outra curiosidade no livro é a apresentação da biografia do poeta em versos e, assim, ficamos sabendo que Vivente Humberto é engenheiro de Minas pela UFMG e graduado em Letras pela UFG, ou seja: "Oscilou como pêndulo / Entre a lida técnica / Engenharia / E a poesia". A sinopse da editora recomenda ler em voz alta cada poema, pois eles nasceram orais. É verdade, mas também são o resultado de uma persistente busca da expressão que desnorteia e encanta o leitor, como

Leonardo Valente - Calote

Imagem
Leonardo Valente - Calote - Editora Mondrongo - 180 Páginas - Capa: Cláudio Duarte - Lançamento: 2020. No mais recente romance de Leonardo Valente, o Brasil se tornou uma espécie de distopia financeira e, por sinal, assustadoramente semelhante à situação na qual vivemos atualmente. Em um futuro próximo, imaginado por Leonardo, o Mercado toma de vez as rédeas da nação em nome de um liberalismo econômico extremo, formatado por um conceito de meritocracia injusto e assumindo as funções de um Estado falido, burocrático e corrupto. O capitalismo predatório prioriza a atividade financeira em detrimento da produtiva, direitos trabalhistas são flexibilizados ou cancelados, deixando a população assalariada refém dos juros extorsivos do cartão de crédito e excluída de qualquer possibilidade de ascensão social. Neste contexto, o romance acompanha a trajetória de dois protagonistas que representam, cada um a seu modo, os extremos deste sistema. Marlene Scheidt é uma sobrevivente da classe média e

Marcela Dantés - Nem sinal de asas

Imagem
Marcela Dantés - Nem sinal de asas - Editora Patuá - 232 Páginas - Capa de Leonardo Lott - Lançamento: 2020. O romance de estreia de Marcela Dantés tem como eixo central a morte de  Anja Santiago, uma personagem rara que passou pela vida com uma "imensa vontade de ser invisível" no apartamento novecentos e dois  do Edifício Hotel Lucas. Foram anos marcados por "uma eterna sucessão de solidões" e tendo como único companheiro o gato Rinoceronte, lento e desastrado, com quem ela compartilhava d a mesma aversão por gente, "preferia o silêncio de uma noite escura". Morreu sozinha em um prédio com dezenas de pessoas e continuou sozinha até o seu corpo ser descoberto, cinco anos depois. Pode parecer um argumento improvável, contudo, como ocorre tantas vezes, a realidade é mais surpreendente do que a ficção, uma vez que o romance foi inspirado em um caso real de uma mulher encontrada mumificada no próprio apartamento, cinco anos após sua morte, notícia do jornal “

Barack Obama - Uma terra prometida

Imagem
Barack Obama - Uma terra prometida - Editora Companhia das Letras - 764 Páginas - Tradução de Berilo Vargas, Cássio de Arantes Leite, Denise Bottmann e Jorio Dauster - Capa: Christopher Brand - Lançamento: 17/11/2020. No primeiro volume de suas memórias, Barack Obama, explica em detalhes, mas sempre com uma  linguagem simples e didática, os momentos marcantes de seu primeiro mandato e a improvável trajetória que o  filho de um negro africano, com nome muçulmano e ideias socialistas, percorreu até chegar ao comando da Casa Branca por dois períodos consecutivos, de 2009 a 2017.  Logo de início ele encontrou uma brutal crise financeira que desmontou a economia norte-americana e provocou uma recessão global, exigindo a articulação de um grande pacote de ajuda econômica que aumentou os gastos federais para a saúde, infra-estrutura, educação e incentivos fiscais. Sem a maioria no Congresso, enfrentou muita oposiçao do Partido Republicano para conseguir a aprovação da Lei de Proteção e Cuidad