Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2020

Michel Houellebecq e Enrique Vila-Matas na longlist do International Booker Prize 2020

Imagem
Divulgados os semifinalistas (longlist) do International Booker Prize versão 2020. Desde 2016 a organização, que considera romances de qualquer país, desde que traduzidos para o inglês, passou a premiar anualmente um livro específico e não o conjunto da obra do escritor. A lista de seis finalistas (shortlist) será divulgada em 02/04/2020.

Michel Houellebecq e Enrique Vila-Matas são os nomes mais fortes desta edição com ambos os romances já publicados no Brasil: Serotonina (Editora Alfaguara, 2019) e Mac e seu contratempo (Editora Companhia das Letrs, 2018), respectivamente.

Segundo procedimento da premiação, o valor de de 50.000 libras será dividido igualmente entre autor e tradutor. Segue a longlist completa com os 13 selecionados e as informações na seguinte ordem: Título (com link para a sinopse do livro) / Nome do Autor (Nacionalidade) / Nome do Tradutor / Editora.

Red Dog, de Willem Anker (África do Sul). Traduzido por Michiel Heyns (Pushkin Press);

The Enlightenment of The Greengag…

T. K. Pereira - Vozes

Imagem
T. K. Pereira - Vozes - Editora Caos e Letras - 164 Páginas - Projeto gráfico: Cristiano Silva - Arte de Capa: Eduardo Sabino - Lançamento: 2019.
Surpreende a segurança e a originalidade narrativa nesta antologia de 21 contos, livro de estreia de T. K. Pereira com apresentação de Luiz Antonio de Assis Brasil, responsável pela Oficina de Criação Literária da PUC-RS, na qual já passaram alguns escritores de destaque na literatura contemporânea brasileira, e que recomendou a obra como "uma experiência de transcendental humanidade e de autêntica literatura", nada mal para um jovem autor em início de carreira.

Os contos não se enquadram no modelo tradicional, sendo narrados em primeira pessoa e seguindo uma espécie de fluxo de consciência que varia em extensão e formato, de acordo com o histórico e personalidade de cada protagonista. Contudo, o experimentalismo narrativo não compromete a fluência e o prazer da leitura. T. K. Pereira encontra formas para conduzir as vivências de cad…

Ana Paula Maia - Assim na terra como embaixo da terra

Imagem
Ana Paula Maia - Assim na terra como embaixo da terra  Editora Record - 144 Páginas - Lançamento: 2017 (2ª edição 2019).
Assim na terra como embaixo da terra é o sexto romance de Ana Paula Maia – vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura 2018 – que tem como cenário uma colônia penal isolada, em uma região rural não definida, onde não há possibilidade de fuga e os detentos são tratados e caçados como animais. A escritora e roteirista carioca, portanto, se mantém fiel ao estilo de seus livros anteriores, lidando com personagens submetidos a uma realidade violenta e cruel à margem da sociedade, inclusive no mais recente lançamento, Enterre seus mortos (Editora Companhia das Letras, 2018), que levou também o Prêmio São Paulo de Literatura em 2019.

Como a instituição está em processo de desativação, acabou sendo esquecida pelas autoridades, transformando-se, ao longo do tempo, em um campo de extermínio sob a administração do psicopata Melquíades. O fato, que a autora deixa claro na narrativa…

Cristiano Silva Rato - Todos que conheço são suicidas

Imagem
Cristiano Silva Rato - Todos que conheço são suicidas - Editora Caos e Letras - 116 Páginas - Projeto gráfico: Cristiano Silva - Arte da capa: Eduardo Sabino - Lançamento: 2019.
Cristiano Silva Rato faz poesia com o acúmulo de perdas que representa a vida para a grande parcela de excluídos em nosso país e que, ironicamente, chamamos de minorias. Há poucas exceções na literatura para dar voz a essas pessoas que têm a sua existência limitada a um teimoso exercício de sobrevivência em uma espécie de suicídio diário.

O autor lida com os preconceitos e violências a que são submetidos aqueles que têm a sua mesma classe e cor nas periferias dos grandes centros urbanos e, portanto, escreve com autoridade e em primeira pessoa como nos lindos versos confessionais de Um canto egoísta (p. 102): "[...] eu sei, escrevo em primeira pessoa, / eu não sou profissional / para sentir além de mim, / as palavras estão se repetindo, / eu voltei à casa de minha morte / e renascimento. / Quanto tempo até q…

Godofredo de Oliveira Neto - Marcelino

Imagem
Godofredo de Oliveira Neto - Marcelino - Editora Ímã - 260 Páginas - Lançamento: 2019
Marcelino é um romance histórico ambientado em 1942 durante o último período do governo de Getúlio Vargas que se convencionou chamar de Estado Novo, no momento em que o Brasil rompia as relações diplomáticas com a Alemanha, o Japão e a Itália, devido aos ataques a navios mercantes brasileiros por submarinos alemães, ações que acabaram definindo a posição política de Vargas, até então neutra ou ambígua em relação ao alinhamento com os países aliados contra o avanço nazifascista europeu na Segunda Grande Guerra.

O jovem protagonista, Marcelino Alves Nanmbrá dos Santos, é um solitário pescador de Praia do Nego Forro em Florianópolis, um símbolo da fragmentação da identidade nacional, resultante da miscigenação de índios com negros africanos, ele representa a ingenuidade nacional da época, um país não industrializado e com a maioria da população analfabeta. Marcelino é lembrado pela professora da escola pr…

Sandra Godinho - O Verso do Reverso

Imagem
Sandra Godinho - O Verso do Reverso - Editora Penalux - 228 Páginas - Projeto gráfico de Cintia Belloc - Lançamento: 2019.
É uma característica essencial da natureza humana a capacidade de resistir aos reveses da vida e a literatura, como bem sabemos, é uma das mais belas formas de resistência, principalmente quando consegue transformar a injustiça em esperança, o desconforto em mudança e a dor em arte. A força de cada um dos contos desta antologia, Prêmio Cidade de Manaus de 2019, reside na coragem de Sandra Godinho em olhar de frente alguns temas que a sociedade tem preferido ignorar, promovendo uma espécie de antídoto contra a insensibilidade.

As narrativas utilizam técnicas próprias de acordo com o tema que será desenvolvido, tornando a leitura sempre dinâmica e de interesse renovado. Na abertura de cada história, a autora apresenta um interessante recurso como epígrafe, a inserção de um pequeno poema que já coloca o leitor no clima. Por exemplo, no conto de abertura do livro, "…

Rosana Piccolo - Alla Prima

Imagem
Rosana Piccolo - Alla Prima - Editora Patuá - 140 Páginas - Ilustração, Projeto gráfico e Diagramação de Leonardo Mathias - Lançamento: 2019.
O título da antologia de poemas de Rosana Piccolo, Alla Prima, é uma expressão italiana que significa de primeira, utilizada para nomear uma técnica de pintura, originalmente a óleo e praticada a partir do século XVII, na qual a tinta é aplicada diretamente na base escolhida, sem estudos preparatórios, e o resultado final é atingido após essa única aplicação do pigmento, sem qualquer correção ou retoque. 

No entanto, pode haver uma certa dose de ironia no título pois, embora a estrutura de versos livres e a multiplicidade temática do livro possam induzir a ideia de que os poemas foram gerados de primeira, ou sem retoques, este não me parece ter sido o caso, muito pelo contrário, cada verso demonstra ter sido resultante de um intenso processo de pesquisa. Importante pontuar também que Alla Prima agrega poemas de livros anteriores, alguns revistos e…

Fábio Mariano - Habsburgo

Imagem
Fábio Mariano - Habsburgo - Editora Patuá - 136 Páginas - Ilustração, Projeto gráfico e Diagramação de Leonardo Mathias - Lançamento: 2019
Um círculo de enigmáticos personagens convive nesta novela entre o mercado de artes plásticas e o ambiente universitário. Carlos, que é o condutor da narrativa em primeira pessoa, se dedica à carreira acadêmica e mantém uma peculiar relação de amizade com Coca Munhoz que ambiciona se tornar artista plástico, mas cada um tem uma forma diferente de lidar com suas escolhas e dilemas de formação. 

Caco Munhoz é o ponto de convergência dessas pessoas que seguem um protocolo de conduta regido somente pela vaidade e interesses pessoais: Ekaterina Stolanyi, filha de um engenheiro húngaro e de uma tradutora russa, casada com o professor Pedro Krausz, Sonja Linnenbäumer, ex-chefe do departamento de letras e o nada ético Dietmar Struna, professor orientador do doutorado de Carlos na Alemanha que o abandona para se tornar marchand de Caco Munhoz no Brasil. No de…