Cristiano Silva Rato - Todos que conheço são suicidas

Poesia brasileira contemporânea
Cristiano Silva Rato - Todos que conheço são suicidas - Editora Caos e Letras - 116 Páginas - Projeto gráfico: Cristiano Silva - Arte da capa: Eduardo Sabino - Lançamento: 2019.

Cristiano Silva Rato faz poesia com o acúmulo de perdas que representa a vida para a grande parcela de excluídos em nosso país e que, ironicamente, chamamos de minorias. Há poucas exceções na literatura para dar voz a essas pessoas que têm a sua existência limitada a um teimoso exercício de sobrevivência em uma espécie de suicídio diário.

O autor lida com os preconceitos e violências a que são submetidos aqueles que têm a sua mesma classe e cor nas periferias dos grandes centros urbanos e, portanto, escreve com autoridade e em primeira pessoa como nos lindos versos confessionais de Um canto egoísta (p. 102): "[...] eu sei, escrevo em primeira pessoa, / eu não sou profissional / para sentir além de mim, / as palavras estão se repetindo, / eu voltei à casa de minha morte / e renascimento. / Quanto tempo até que surte novamente? / Com os olhares, os cochichos, / não quero ser o que querem que eu seja, / nem escrever como querem que eu escreva, / nem olhar como querem, / não quero uma terceira pessoa, / já existem tantos de mim, [...]"

O poeta alerta em Auto, ajuda (p.33)"as palavras são armas na madrugada", mesmo quando parece não haver palavra suficientemente forte ou precisa para nomear o sofrimento cotidiano. Ficam então os vazios nomeados em Sobre a a escrita (p. 110): "Quando escrevo / Não são os parágrafos / Não são as frases / Não são as palavras / Não são as letras / São os vazios."

O livro é uma homenagem póstuma a todos aqueles que são induzidos diariamente ao autoextermínio, nomeados no final: "O suicídio infantil é 18 vezes maior entre os indígenas. O suicídio é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 24 anos. Jovens negros são maioria em casos de suicídio." E o poeta lança a sua última provocação: "Este livro não fala disso..."

Hoje 

Em mim tudo está trincado,

desde a tela do celular
ao olhar sem descanso.
Sou um dia frio no verão
e um calor no inverno,
tenho lábios rachados,
minha pele seca
não comporta lágrimas,
e hoje, neste dia, continuo mudo,
somente uma tristeza profunda,
e não ouço mais sua voz recitando
minha poesia,
me pego na saudade,
hoje, sim, tudo é dor.

Resquício de um suicídio


Escrevo

porque sempre
que escrevo
morro um pouco.
Se não fosse 
este deslize,
a poesia,
quem sabe
como estaria
o meu corpo
dentre em pouco?

Mais um ano


Todos que conheço são suicidas,

não se calam perante a forma,
pois não são nada de novo,
resistem há 519 anos,
ano que vem aumentará mais um ano
na soma de nossas mortes,
na soma de nossas vidas,
nos dias de nosso apocalipse,
do óleo,
do lítio,
da cana,
519 anos de estado, de estado de sítio.
De um mundo séptico,
de um mundo branco,
todos que resistem são,
todos que se calam foram,
todos que são privados do amor,
privadas as suas línguas
de suas histórias,
memórias,
identidades,
ano que vem é mais um ano de suicídio.

Sobre o autor: Cristiano Silva Rato é autor de "Sentido Suspenso!" (2012, Multifoco) e tem diversos textos espalhados pela internet e em antologias. Documentarista, ajudou a criar e dirigiu o programa de websérie Literatura no Boteco. Integra o Coletivo Terra Firme, de Ibirité, a Cooperativa de Literatura Marginal, e é responsável pelo selo editorial e agência multimídia Marginália Comunicação.

Comentários

Adriane Garcia disse…
Sempre destaco o quanto é bacana você estar aberto não só para as leituras do cânone ou dos livros promovidos por grandes editoras, mas aos novos, aos que publicam de forma independente ou por pequenas Casas, aos contemporâneos escrevendo no presente, presentemente. Parabéns.
Alexandre Kovacs disse…
Oi Adriane, muito grato pela visita e comentário! Essa divulgação das editoras independentes e autores novos é fundamental e sempre procuro reservar espaço nas resenhas para este tipo de material. Grande abraço.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira

20 grandes escritoras brasileiras

As 20 obras mais importantes da literatura portuguesa

As 20 obras mais importantes da literatura francesa

As 20 melhores distopias da literatura

As 20 obras mais importantes da literatura italiana