Chico Buarque - Prêmio Camões 2019

Prêmios Literários

O cantor, compositor e escritor Chico Buarque, 74 anos, é o vencedor do Prêmio Camões 2019, um dos maiores reconhecimentos da literatura em língua portuguesa. Ele é o 13º brasileiro a receber a honraria, passando a integrar um seleto time de autores já premiados: Raduan Nassar (2016), Alberto da Costa e Silva (2014), Dalton Trevisan (2012), Ferreira Gullar (2010), João Ubaldo Ribeiro (2008), Lygia Fagundes Telles (2005), Rubem Fonseca (2003), Autran Dourado (2000), António Cândido de Mello e Sousa (1998), Jorge Amado (1995), Rachel de Queiroz (1993) e João Cabral de Melo Neto (1990). 

Já consagrado em sua brilhante carreira musical, Chico Buarque tem uma produção literária consistente com obras de dramaturgia, poemas e os premiados romances: Estorvo (1991), Benjamim (1995), Budapeste (2003), Leite Derramado (2009) e O Irmão Alemão (2014). Logo, é bom que se diga que qualquer comparação com a polêmica premiação do músico e genial letrista Bob Dylan ao Prêmio Nobel de Literatura em 2016 não se aplica (apesar de me considerar um fã incondicional da obra de Dylan, pura poesia).

O prêmio Camões foi criado pelos governos de Portugal e Brasil para os autores que, pelo conjunto de sua obra, tenham contribuído para o enriquecimento do patrimônio literário e cultural da língua portuguesa. Este ano o anúncio foi realizado nesta terça-feira, 21, no Rio de Janeiro, após uma reunião na sede da Biblioteca Nacional que decidiu pela escolha de Chico Buarque que receberá 100 mil euros.

Segue abaixo a relação completa de vencedores do Prêmio Camões desde a sua criação:

1989 - Miguel Torga (Portugal, 1907-1994);
1990 - João Cabral de Melo Neto (Brasil, 1920-1999);
1991 - José Craveirinha (Moçambique, 1922-2003);
1992 - Vergílio Ferreira (Portugal, 1916-1996);
1993 - Rachel de Queiroz (Brasil, 1910-2003);
1994 - Jorge Amado (Brasil, 1912-2001);
1995 - José Saramago (Portugal, 1922);
1996 - Eduardo Lourenço (Portugal, 1923);
1997 - Pepetela (Angola, 1941);
1998 - António Cândido (Brasil, 1918-2017);
1999 - Sophia de Mello Breyner (Portugal, 1919-2004);
2000 - Autran Dourado (Brasil, 1926);
2001 - Eugénio de Andrade (Portugal, 1923-2005);
2002 - Maria Velho da Costa (Portugal, 1938);
2003 - Rubem Fonseca (Brasil, 1925);
2004 - Agustina Bessa-Luís (Portugal, 1922);
2005 - Lygia Fagundes Telles (Brasil, 1923);
2006 - José Luandino Vieira (Angola, 1935);
2007 - António Lobo Antunes (Portugal, 1942);
2008 - João Ubaldo Ribeiro (Brasil, 1941-2014);
2009 - Arménio Vieira (Cabo Verde, 1930);

2010 - Ferreira Gullar (Brasil, 1930-2016);
2011 - Manuel António Pina (Portugal, 1943–2012);
2012 - Dalton Trevisan (Brasil, 1925);
2013 - Mia Couto (Moçambique, 1955)
2014 - Alberto da Costa e Silva (Brasil, 1931)
2015 - Hélia Correia (Portugal, 1949)
2016 - Raduan Nassar (Brasil, 1935)
2017 - Manuel Alegre (Portugal, 1936)
2018 - Germano Almeida (Cabo Verde, 1945)
2019 - Chico Buarque (Brasil, 1944)

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira

As 20 obras mais importantes da literatura portuguesa

Vencedores do Prêmio Literário Biblioteca Nacional 2019

As 20 melhores utopias da literatura

As 20 obras mais importantes da literatura francesa

As 20 obras mais importantes da literatura italiana