Smiths - The Queen is Dead

Morrissey

No início dos anos oitenta as pessoas andavam um pouco saturadas de heróis da guitarra e super bandas progressivas no cenário do rock internacional das duas últimas décadas, foi então que, na sempre criativa cena de Manchester, em 1982, a dupla Johnny Marr e Morrissey decidiu formar uma banda diferente com o nome simples e provocativo de Smiths.

Johnny Marr, apesar de intitulado com muito respeito pela revista Guitar Player em 1990 como anti-herói da guitarra, acabou se tornando um dos músicos mais influentes da década, com suas complexas harmonias tentando ser imitadas por U2 e Radiohead, para citar apenas duas bandas contemporâneas.

Terceiro disco na curta carreira dos Smiths (1982 - 1987), "The Queen is Dead" foi gravado em dezembro de 1985 e não foi lançado imediatamente por problemas legais, sendo comercializado somente em junho de 1986. Os singles "Bigmouth Strikes Again", "The Boy With The Thorn in His Side" e "There Is A Light That Never Goes Out", além de "I Know It's Over", estão todos presentes neste album.

A versão ao vivo abaixo da linda "There is a Light That Never Goes Out" com Neil Finn (The Crowded House), Johnny Marr e alguns integrantes do Radiohead mostram como ainda existe muita modernidade no som dos Smiths para ser explorado pelas futuras gerações.

There is a Light That Never Goes Out
(Johnny Marr / Morrissey)

Take me out tonight
Where theres music and theres people
And theyre young and alive
Driving in your car
I never never want to go home
Because I havent got one
Anymore

Take me out tonight
Because I want to see people and I
Want to see life
Driving in your car
Oh, please dont drop me home
Because its not my home, its their
Home, and Im welcome no more

And if a double-decker bus
Crashes into us
To die by your side
Is such a heavenly way to die
And if a ten-ton truck
Kills the both of us
To die by your side
Well, the pleasure - the privilege is mine

Take me out tonight
Take me anywhere, I dont care
I dont care, I dont care
And in the darkened underpass
I thought oh god, my chance has come at last
(but then a strange fear gripped me and I
Just couldnt ask)

Take me out tonight
Oh, take me anywhere, I dont care
I dont care, I dont care
Driving in your car
I never never want to go home
Because I havent got one, da ...
Oh, I havent got one

And if a double-decker bus
Crashes into us
To die by your side
Is such a heavenly way to die
And if a ten-ton truck
Kills the both of us
To die by your side
Well, the pleasure - the privilege is mine

Oh, there is a light and it never goes out
There is a light and it never goes out
There is a light and it never goes out
There is a light and it never goes out
There is a light and it never goes out



Comentários

Veroca disse…
Bom dia Kovacs,espero teu feriado tenha sido bom. Eu correndo aqui, pra variar hehehe. Olha, depois volto com calma prá ler o post, passei mesmo prá dizer que deixei um selinho prá ti em cima da minha colcha. Bj meu.
Anônimo disse…
Kovacs, bom ver você de volta, com toda a corda!!!! Sinto falta das suas postagens, depois que a gente se acostuma a ler... Estou aprendendo sobre música com você e foi pensando na nossa conversa sobre música que resolvi postar uma vez por semana um video musical de que gosto, ou de que gostei. Espero que seja bem eclético. Um sobrinho meu me apresentou a esse grupo inglês The xx. Fiquei encantada. Postei uma música deles ontem. Estréia de músicas no blog. Gostei da simplicidade, da elegância do som. Além é claro de uma pequena agonia... sofrimento talvez. Infelizmente não entendi a letra toda. Nem H. meu marido. Não sei se é a pronúncia inglesa. Um abraço, Ladyce
Cintia disse…
Acho o Johnny Marr um dos maiores (senão o maior) guitarristas da década de 80. As melodias dele foram tão responsáveis pelo som único dos Smiths quanto as letras e a voz de Morrissey.

Lembro que esperava avidamente notícias de novas músicas da banda (e eles foram bem prolíficos em sua breve carreira, então sempre tinha coisa nova) e que cheguei a chorar quando a banda acabou.

"There's a light that never goes out" é uma de minhas músicas favorita deles - e, na época q o disco foi lançado, era "a" favorita, eu ouvia direto.

Ah, fui no show dos Pretenders, no Hollywood Rock de 1988, só pra ver o Johnny Marr tocar. E tenho essa Guitar Player com ele na capa! ;)

Beijocas,
Kovacs disse…
Veroca, muito obrigado pela gentileza vou lá ver o selo agora mesmo!
Kovacs disse…
Ladyce, sempre a eterna falta de tempo por aqui. Tento manter uma média de oito postagens por mês, mas nem sempre consigo. Essa sua idéia de uma postagem semanal sobre música é ótima, não conhecia esta banda xx, vou lá no seu blog conhecê-la.
Kovacs disse…
Cintia, Johny Marr é um músico sensacional que influenciou toda uma geração de guitarristas, pena que a banda não tenha suportado a briga de ego dos dois (Morrissey e Marr).

Grande coincidência, pois também fui neste show do Pretenders, única e exclusivamente para ver o Johny Marr! Também tenho essa edição da Guitar Player até hoje, nossa fiquei até assustado...
Lígia Guedes disse…
Kovacs,

"Aclara o ar! Limpa o céu! Lava o vento! Toma a pedra, toma a pele do braço,
toma o músculo do osso, e lava-os. Lava a pedra, lava o osso, lava o cérebro, lava a alma,
lava-os, lava-os!"
(T.S. Eliot)

Agradeço a oportunidade de aprender muito aqui...

(gentileza apagar o post anterior, grata)
Kovacs disse…
Lígia, Pobre dupla Morrissey e Marr, não há como competir com T.S. Eliot. Covardia não é mesmo?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira

As 20 obras mais importantes da literatura portuguesa

20 grandes escritoras brasileiras

As 20 obras mais importantes da literatura francesa

As 20 obras mais importantes da literatura dos Estados Unidos

As 20 obras mais importantes da literatura italiana