A literatura sou eu e você também

Literatura
Claude Monet (1840 - 1926) - A Ponte em Argenteuil 1874 - Óleo em Tela
Musée d'Orsay, Paris, França. 

Não tenho muito jeito para textos confessionais, mesmo sabendo que a grande validação dos blogs está justamente no caráter pessoal que provoca a identificação com o leitor. A literatura, de uma forma geral, é tanto mais representativa e verdadeira quanto for a coragem do autor em expor as suas verdades, sejam elas quais forem.

A literatura sou eu
(por Kovacs)

Onde está a literatura
Que os grandes autores procuram
Alguém fala na vida, outro na morte
Quanta bobagem
Se ninguém entende a vida
Que dirá a morte

Me falta a coragem
De encontrar a verdade
Que certamente não é bela
E nem sempre poética
E pode até ser ridícula
Já ensinou o poeta
Que era a própria arte (em Pessoa)

O medo e a vergonha escondem a obra
Que já começa falsa
E não demora logo acaba
Quando se busca nos outros
Sem encontrar
O que está escondido
Em nós

E agora, o que fazer?
Só sabemos mentir
Quem me ensina a ver
Bem longe
Dentro de mim

Comentários

Djabal disse…
Essas indagações são aquelas que um autor tem que ter coragem para responder e só depois, publicar. Caso contrário, como você mesmo disse, não será literatura. Parecerá artificial, uma criação estranha. Gostei muito do que li. Agradeço suas palavras entusiasmadas e de ânimo. Grande abraço.
Anny disse…
Oi Kovacs: Adorei seu poema. Um pouco de vc que aparece nas palvras, nas idagações.
luma disse…
Não sabe? Porém confessou!!
Bom domingo de páscoa!
Kovacs disse…
Djabal, acho que você tem conseguido alcançar nos seus textos essa carga de verdade que é a essência da literatura.

Sua página (http://havesometea.net/NonLiquet/)está devidamente linkada. Obrigado pela visita e comentário.
Kovacs disse…
Anny, muito obrigado pelo elogio. Acho que o grande desafio é justamente termos a coragem de nos expor em cada texto.
Kovacs disse…
Luma, obrigado pela visita e comentário. Ainda preciso aprender muito como escrever textos confessionais, mas estou tentando.
Anônimo disse…
Bom trabalho, kovacs, é praticar sempre.
um abraço,
clara lopez
Kovacs disse…
Clara, obrigado pela visita e comentário que é sempre importante vindo de quem sabe escrever bem.
Fernanda disse…
oi Kovacs adorei seu blog!! quantas informações boas! de vez em qdo dou uma passada por aki! parabens!! bjos, Fernanda
Kovacs disse…
Fernanda, fiquei muito satisfeito com a sua visita aqui no meu mundo. Volte outras vezes que será sempre bem vinda.
"(...)" disse…
Obrigada pela visita na Livraria! Eu costumo vir aqui, mas só agora estréio seus comentários... Engraçado seu poema e a frase da Anäis, pois foi justamente sobre isso que tb escrevi hj!Eu disse J-U-S-T-A-M-E-N-T-E!!! E isso não é jogada de marketing viu? beijos Dani
Kovacs disse…
Dani, muito boa a "Livraria das Obras Inéditas" que já foi devidamente linkada no meu mundo. Obrigado pela visita e volte sempre.
Lady Cronopio disse…
"Bem longe, dentro de mim", é uma pérola!
Gostei do seu escrito confessional.
Prossiga.
Beijos e aquela coisa toda.
Kovacs disse…
Lady Cronópio, acho que esta parte final que você destacou conseguiu resumir, com bastante lirismo, o que eu queria dizer e fiquei muito contente com o resultado da frase.

Este elogio vindo de uma pessoa que domina a linguagem poética é um incentivo considerável.
Daniel Barbosa disse…
Pô, bem bacana o seu blog cara, vou voltar aqui mais vezes para ler o resto, não dá prá ler tudo de uma sentada. Estava procurando algo sobre o mestre bitnik, ferlinguetti e vim parar aqui nessa blog. Sorte a minha!

No post das melhores bibliotecas do mundo faltou a biblioteca do conto de borges eheehe.

Um livro que recomendo é "fome" de knut hamsun, um dos ídolos de Henry miller e "frutos dourados do sol" de Ray Bradbury (um dos meus ídolos, e de Borges tb).

Abraços

p.s visitem o meu blog
www.voemaisaltoicaro.blogspot.com
Kovacs disse…
Daniel, Lawrence Ferlinghetti é um poeta fantástico, ver o trecho abaixo:

"The world is a beautiful place / to be born into / if you don´t mind some people dying / all the time / or maybe only starving / some of the time / which isn´t half so bad / if it isn´t you ."

"O mundo é um lugar maravilhoso / onde nascer / se a gente não ligar que o tempo todo haja alguma / pessoa morrendo / ou talvez só passando / algum tempo com fome / o que afinal não é tão ruim / se não for você."

Obrigado pela visita e comentário. Vou visitar o seu blog.
sinta-se livre para "confessar" mais vezes
como já escreveram "é praticar sempre"
Kovacs disse…
Lilian, só agora me ocorreu que tão importante quanto saber confessar é ter algo relevante para confessar. Obrigado pela visita e comentário.
Cintia disse…
Acho que, apesar de seus textos não serem confessionais, você está em todos eles. Cada post que escreve revela sim algo sobre você e acho que você tem aqui leitores bastante atentos a ponto de reconstruir parte do seu quebra-cabeças, mesmo que você não nos conte que várias vezes vai trabalhar usando meias de pares diferentes ou algo do gênero.

Acho que o poema de hoje é mais uma peça do seu quebra-cabeças e parece nos indicar como a literatura permeia toda a sua vida.

Bjs,
Kovacs disse…
Cintia, acho que você resumiu muito bem. Em cada texto, mesmo inconscientemente, vou deixando uma marca.

E o mais importante é que a literatura sempre foi parte importante de minha vida, mesmo tendo escolhido a carreira de engenheiro.
Anônimo disse…
adorei esse poema.... me identifiquei demais com ele... é preciso ter coragem para escrever um poema, um texto literário, por que mesmo que inconscientemente estamos falando de nossa própria vida. Daí por isso, do uso de metáforas nos poemas.

Nessa
Kovacs disse…
Anônimo, que bom que você gostou. Obrigado pela visita e comentário.
Kovacs disse…
Lígia, obrigado pela visita e comentário!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira

As 20 obras mais importantes da literatura portuguesa

Vencedores do Prêmio Literário Biblioteca Nacional 2019

As 20 melhores utopias da literatura

As 20 obras mais importantes da literatura francesa

As 20 obras mais importantes da literatura italiana