Bernardo Carvalho - Mongólia

Literatura brasileira contemporânea
Bernardo Carvalho - Mongólia - Editora Companhia das Letras - 192 páginas - Lançamento: 03/10/2003.

Antes de mais nada, aproveito a oportunidade para divulgar o blog que Bernardo Carvalho está escrevendo da cidade de São Petersburgo por conta do projeto Amores Expressos, patrocinador do diário de bordo de alguns autores da literatura nacional ao redor do mundo. Como o próprio Bernardo Carvalho afirma em sua primeira postagem do projeto: "Não é que não goste; eu detesto blog", logo é interessante conferir como um autor novo, porém já consagrado pela crítica, consegue lidar com esta ferramenta maldita.

Mongólia foi vencedor dos prêmios APCA (2003) e Jabuti (2004), custeado por uma bolsa criada pela editora portuguesa Livros Cotovia e pela Fundação Oriente, de Lisboa. Para escrever o livro, mistura de diário de viagem e ficção, Bernardo Carvalho percorreu, durante dois meses, cinco mil quilômetros pelo interior da Mongólia.

Um diplomata brasileiro recém-chegado à China é encarregado, contra a sua própria vontade (só saberemos o motivo ao final do livro), de descobrir o paradeiro de um jovem fotógrafo desaparecido um ano antes nos montes Altai.


A narrativa tem como base dois diários, um deixado pelo jovem fotógrafo e outro escrito pelo diplomata durante a sua busca. O romance mistura as narrativas de viagem do próprio Bernardo Carvalho, incluindo descrições sobre a história e a realidade econômica e política da Mongólia. 


O trecho a seguir é um exemplo desta análise: "O passado, quando não se perdeu, agora são lendas e suposições nebulosas. eles não tem outro uso para a imaginação. Durante séculos os lamas se encarregaram de imaginar por eles. Durante setenta anos, o partido se encarregou de lembrar por eles, no lugar deles. Agora, lembrar é imaginar. Às vezes prefiro quando dizem que não sabem ou não se lembram de nada."


As impressões do protagonista/autor sobre a natureza hostil e os nômades mongóis são também bastante interessantes, pois este ambiente de estepes, desertos e montanhas, com as suas dificuldades características de integração é que acabam aproximando, pelo isolamento, o desaparecido e o diplomata no decorrer da história.

Comentários

daisy carvalho disse…
Bela sugestão, amigo Kovacs!
Eu tenho uma ficção para novela onde meu protagonista é descendente de Gengis-cã, ou melhor, Tamerlão, um conquistador turco que se denominou Mongol e lutou contra inpérios, inclusive o da china.
A Mongólia é super misteriosa...

Beijos. Adorei!
Kovacs disse…
Daisy, queria ter a sua capacidade de criação para poder produzir resenhas, contos, poemas e tudo o mais que você escreve.
Leila Silva disse…
Obrigada pela sugestão. Eu estou seguindo alguns dos blogs do Amores Expressos, ainda não tinha lido o do B. Carvalho. Você já leu o do Lourenço Mutarelli:

http://blogdolourencomutarelli.blogspot.com/
Muito bom também.
Abraços
Kovacs disse…
Leila, vou checar o blog do Lourenço Mutarelli. O único problema dos blogs do projeto Amores Expressos é que terão tempo limitado, apenas durante a estadia do autor no país que servirá de cenário ao futuro romance.
Sonia disse…
Estou vendo que os autores do Amores Expressos estão sendo super divulgados por seus colegas blogueiros. Divertidíssimo é o blogue de Reinaldo Morais (autor que nunca li), escrito da Cidade do México. Acompanho, por razões óbvias, o do Sergio Sant´Anna. O do Bernardo de Carvalho e o de Lourençao Mutarelli também são ótimos.
Li Mongólia e gostei muito, mauito mais que de Nove Noites, que me desapontou no final. E gostei muitíssimo do intrigante O sol se põe sobre São Paulo.
osrevni disse…
Não adianta, ele vai acabar viciando, com todo mundo!
Clara Lopez disse…
Kovac, sou nova aqui, gostei do seu blog, mas não gostei do Nove noites, li quase por obrigação, para saber qual era a do Bernardo Carvalho. Quando li sua descrição do Mongólia vi que o rapaz gosta mesmo de uma ficção com jeito de história, ou resgate, não sei. Acho o texto dele pesado, lento demais, a frase não flui. Por outro lado, Aqueles cães malditos de Arquelau, do Isaías Pessotti, que também mexe com pesquisa, passado, gente rebuscando no baú dos mortos, eu não consegui parar de ler, amei de paixão e tenho os personagens até hoje próximos de mim. É isso.
Um abraço,
clara lopez
Kovacs disse…
Sonia, por enquanto só li "Mongólia" do Bernardo Carvalho. Acho interessante ler autores brasileiros contemporâneos, pois ainda não existe uma uniformidade de crítica sobre a obra. Por exemplo, no caso do premiado "Nove Noites" encontro ainda muitas opiniões contraditórias. Vou checar e depois conversamos.
Kovacs disse…
Diego, acho que este hábito de escrever e comentar em blogs é mesmo viciante. Especialmente quando nos identificamos com um assunto universal como a literatura.
Kovacs disse…
Clara, seja bem vinda neste mundo. Visitei a sua página e achei muitos temas em comum. No caso de "Nove Noites" a sua opinião coincidiu com a da Sonia no comentário acima, preciso ler para avaliar. Isaías Pessotti é outro autor que preciso conhecer. Obrigado pelo comentário e volte sempre!
daisy carvalho disse…
Bondade sua. Sua maravilhosa forma de escrever sobre literatura faz de vc um dos poucos que considero capacitados para falarem com propriedade sobre esta arte. Sua cultura é invejável.

Beijos!
Anisio Lana disse…
Gostei muito de seu blog e vou colocar o link dele no meu para sempre poder voltar aqui, abraços Anísio Lana - Gaspar - Barracão - Santa Catarina.
H disse…
Olá.

Gostei muito do seu blog, um dos melhores que já li. Já te linkei, aliás.

Veja o meu blog também, e emita sua opinião.
http://www.umparaisoperdido.blogspot.com/

Abraço. Voltarei mais vezes.
Kovacs disse…
Anisio, obrigado pela visita e elogio. Visitei o seu blog e achei muito bem escrito. O assunto cidadania e política em nosso país ainda é, sem dúvida, mais relevante que a literatura (espero que esta relação se inverta em um futuro próximo). Volte sempre!
Kovacs disse…
Caro H, muito grato pela visita e elogio. Visitei o seu blog e achei fantástica a mistura de Nabokov, Saramago e Primal Fear. Esta mistura de temas é uma proposta que tenho tentado realizar aqui no meu mundo. Volte sempre!
Olá,

Deixei um desafio para você lá no meu blog. Se tiver um tempinho, passa lá e dá uma olhada.

1 abraço.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira

As 20 obras mais importantes da literatura portuguesa

As 20 melhores distopias da literatura

As 20 obras mais importantes da literatura italiana

20 grandes escritoras brasileiras

As 20 obras mais importantes da literatura francesa