Lawrence Ferlinghetti - Pictures of the Gone World

Poesia beatalguns eventos trágicos e recorrentes no Rio de Janeiro, incluindo as enchentes, deslizamentos e, principalmente, as mortes, me fazem lembrar de um poema do velho mestre da literatura beat Lawrence Ferlinghetti, retirado do livro Pictures of the Gone World (Editora City Lights, 1955 - a capa ao lado é de uma versão comemorativa de 1995), e chamado ironicamente "The World is a Beautiful Place" em que o poeta resume muito bem a situação de uma sociedade que não quer ver e corrigir as distorções geradas pelo egoísmo econômico e prefere culpar os políticos, como se os políticos não fossem simplesmente um espelho da própria sociedade. Tenho certeza de que vocês ficarão espantados com as semelhanças encontradas neste poema.

A tradução é de Nelson Ascher, incluída em uma antologia publicada pela Editora Brasiliense em 1981: Vida Sem Fim (Endless Life) - As Minhas Melhores Poesias - Lawrence Ferlinghetti (265 páginas).

The World Is a Beautiful Place
(Lawrence Ferlinghetti)

The world is a beautiful place
to be born into
if you don't mind happiness
not always being
so very much fun
if you don't mind a touch of hell
now and then
just when everything is fine
because even in heaven
they don't sing
all the time

The world is a beautiful place
to be born into
if you don't mind some people dying
all the time
or maybe only starving
some of the time
which isn't half bad
if it isn't you

Oh the world is a beautiful place
to be born into
if you don't much mind
a few dead minds
in the higher places
or a bomb or two
now and then
in your upturned faces
or such other improprieties
as our Name Brand society
is prey to
with its men of distinction
and its men of extinction
and its priests
and other patrolmen

and its various segregations
and congressional investigations
and other constipations
that our fool flesh
is heir to

Yes the world is the best place of all
for a lot of such things as
making the fun scene
and making the love scene
and making the sad scene
and singing low songs and having inspirations
and walking around
looking at everything
and smelling flowers
and goosing statues
and even thinking
and kissing people and
making babies and wearing pants
and waving hats and
dancing
and going swimming in rivers
on picnics
in the middle of the summer
and just generally
'living it up'
Yes
but then right in the middle of it
comes the smiling

mortician



O mundo é um ótimo lugar
(Lawrence Ferlighetti - Tradução Nelson Ascher)

O mundo é um ótimo lugar
pra se nascer
se não te importa que a felicidade
nem sempre tenha
muita graça
se não te importa um quê de inferno
de quando em quando
justo quando tudo vai bem
pois nem mesmo nos céus
se canta o
tempo todo

O mundo é um ótimo lugar
pra se nascer
se não te importa que alguns morram
o tempo todo
ou sofram só de fome
parte do tempo
o que não é tão mau assim
se não é com você

Ah o mundo é um ótimo lugar
pra se nascer
se não te importam
algumas mentes mortas
nos postos mais altos
ou uma bomba ou duas
de quando em quando
nas suas caras pasmas
ou tais outras inconveniências
que vitimam a nossa
sociedade Marca Registrada
com a distinção de seus homens
e seus homens de extinção
e seus padres
e outros patrulheiros

e suas várias segregações
e investigações parlamentares
e outras prisões
de ventre que nosso torpe
corpo herda

Sim o mundo é o melhor dos lugares
para tantas coisas como
encenar diversão
e encenar amor
e encenar tristeza
e cantar baixarias e se inspirar
e dar umas voltas
olhando de tudo
e cheirando flores
e cutucando estátuas
e até pensando
e beijando as pessoas e
fazendo filhos e usando calças
e acenando chapéus e
dançando
e nadando nos rios durante
piqueniques
no meio do verão
e no sentido amplo
"vivendo até o fundo"
Sim
mas bem no meio disso chega
então sorrindo o

agente funerário

Comentários

fdots disse…
esse é um dos meus poemas favoritos da minha edição da l&pm pocket beat (vulgo livrinhos para estudantes lisos) do "um parque de diversões na cabeça". acho engraçado como os poemas do ferlinghetti especificamente perdem tanto da graça quando são traduzidos. não acho isso de outros autores estrangeiros, mas com o trabalho dele sinto tanto a diferença que chego a ser implicante.
Kovacs disse…
fdots, a tradução é mesmo um problema incontornável, por maior que seja o esforço do tradutor, principalmente no caso de um poeta que utiliza a linguagem coloquial como Ferlinghetti.
"A poesia é a música da alma, e, sobretudo, de almas grandes e sentimentais."
(Voltaire)

Passando para colher a bela poesia de seu canto, e me encantando com ela.
Beijosss
Chico disse…
So passei mesmo para ler o poema do Ferlinghetti e deixar um abraço. Eh uma pena que uma cidade tao linda tenha chegado a este ponto tragico e deprimente da falta de planejamento urbano, falta de plano diretor e um crescimento desordenado. E o pior de tudo é que isso era apenas uma questão de tempo ha pelo menos 20 anos.

Abracao. Chico.
Djabal disse…
Nada como trazer ao varal, uns versos para se pendurar e com eles secar a umidade, chamar o sol, renovar o espírito e encher o pulmão de ar. Obrigado, mais uma vez. Abraços.
Cláudia disse…
Olá Kovacs!
Esse cara é show, Ferlinghetti tem uma pegada incrível para falar da realidade , adoro!!
A verdade é que ler na língua que foi escrito é infinitamente mais significativo e tocante...infelizmente nem sempre é possível!
Adorei muito também a citação lateral da Elizabeth von Amim (que eu não conheço e fiquei curiosa) sobre os cães....muito peculiar contar sua história através da de seus cães, para mim isso seria totalmente possível!:) Quero saber mais dela...vou pesquisar, valeu!
Abraços!
Kovacs disse…
Fada, obrigado pela sua visita que é sempre um sopro de poesia por aqui. Grande Voltaire!
Kovacs disse…
Chico, uma pena que uma cidade tão linda em termos naturais tenha que ser devastada de uma maneira tão brutal. Na verdade todos reclamam dos políticos, mas não somos nós mesmos que os escolhemos?
Kovacs disse…
Djabal, essa é a grande função da arte e cultura, ou seja, esquecer de que somos apenas seres humanos e com tantas imperfeições.
Kovacs disse…
Cláudia, sabia que você iria gostar da citação, um pouco exagerada é verdade, mas vale para lembrar da importância desses nossos amigos caninos.
Lígia Guedes disse…
"Sim
mas bem no meio disso chega
então sorrindo o

agente funerário"


Com ou sem plano?
myra disse…
formidavel! e tristemente verdade... e,sabe, aqui, tbem tem coisas terriveis...e Islanda???!!!e os varios tsunami e terremotos do Chile, etc., ?? tudo culpa do Homem!!!
sim, "Pictures of the gone World"...
um gde abraço,
Leila Silva disse…
Que maravilha, não conhecia.

abraço
Kovacs disse…
Lígia, no contexto de surpresa que Ferlinghetti desejou passar acho que é sem plano mesmo!
Kovacs disse…
Myra, o homem parece ser o maior predador do planeta...
Kovacs disse…
Leila, um poeta surpreendente e fundador da editora city lights grande divulgadora da literatura beat.
Maria Augusta disse…
Kovacs, parece que o planeta está enfurecido, as tragédias se encadeiam, algumas só dependem da natureza, mas outras dependem da responsabilidade humana. E esta deve sim ser assumida por todos, começando por escolher bons políticos para a representação dos interesses públicos.
Perfeito este poema que você escolheu, representa muito bem o estado de espírito da sociedade moderna.
Um abração e um bom fim de semana para você.
Kovacs disse…
Maria Augusta, obrigado pela visita e acho que devemos de alguma forma melhorar a sociedade, começando por mudar a cultura brasileira de "levar vantagem em tudo" desta forma certamente teremos melhores políticos e justiça social (como se isto fosse fácil...).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira

As 20 obras mais importantes da literatura portuguesa

As 20 melhores distopias da literatura

20 grandes escritoras brasileiras

As 20 obras mais importantes da literatura italiana

João Paulo Parisio - Homens e outros animais fabulosos