Inventário de Sonhos - parte II - Janis Joplin

Janis JoplinAlguma coisa saiu errada com o destino de Janis Lyn Joplin, nascida na reacionária e racista cidade americana de Port Arthus no Texas, pois ela acabou se transformando em Janis Joplin (1943-1970) uma das maiores cantoras "negras" da história do blues. Ela, com toda a sua rebeldia beatnik, não conseguia se adaptar na cena local do Texas e se mudou para a comunidade hippie de San Francisco onde, em 1966, após um envolvimento pesado com drogas e álcool, se juntou à banda "Big Brother and the Holding Company".

Janis Joplin ficou conhecida por sua interpretação do clássico do blues "Ball and Chain" de Big Mama Thornton, acompanhada ainda da fraquíssima "Big Brother and the Holding Company", durante o Festival de Monterey, no verão de 1967. O grupo foi agenciado então pelo esperto Albert Grossman (agente de Bob Dylan entre 1962 e 1970), lançando em 1968 o clássico "Cheap Thrills" com os sucessos "Piece of My Heart" e outro standard do blues "Summertime". A banda não conseguiu suportar a pressão do sucesso e drogas, terminando no final de 1968.

Janis ainda se apresentou com duas outras bandas: "Kozmic Blues Band" e "Full Tilt Boogie Band" mas, mesmo com melhores músicos e equipamentos caros, não conseguiu o sucesso que havia alcançado anteriormente, devido à espontaneidade e raça dos músicos da "Big Brother and the Holding Company". O álbum "Pearl" foi lançado em 1971, incluindo "Me and Bobby McGee" e "Mercedes Benz", após a morte de Janis por overdose de heroína em outubro de 1970 aos 27 anos.

Comentários

Anônimo disse…
Oi, amigão.

Que maravilha este teu trabalho caprichado (como sempre) sobre estes monstros da música.

A Janis é uma alma de rebeldia, uma voz inigualável e de profunda sensibilidade. Costumo dizer que essas 'aparições' não podem mesmo ficar por muito tempo na Terra. As drogas eram apenas o caminho para que esses anjos desaparecessem.

Em Saquarema, eu estive na casa do Serguei e me emocionei com objetos dela, inclusive beijei (sério) as suas botas texanas hehe.

Parabéns! Vou ouvir agora mesmo Cry baby (tá certo?)

Beijo, lindo!

Dai www.dai.lendo.org
Clara Lopez disse…
Desta eu me lembro bem e gosto de ouvir até hoje, era minha ídola e quem eu ouvia aos berros na minha primeira vitrola portátil vermelha, minha mãe não entendia por que tanta gritaria em torno da joplin, isso porque eram vários jovens deitados no chão e cantando todas, oh delícia, merci pelas lembranças boas :).
um abraço,
clara lopez
Kovacs disse…
Daisy, Serguei é uma grande figura sobrevivente do rock nacional. Lembro de ter visto alguns shows dele e do Celso Blues Boy já no final dos distantes anos setenta...

Quanto às botas da Janis, merecem mesmo um relicário.
Kovacs disse…
Clara, também comecei na época da vitrola. Pensar que hoje ninguém mais se lembra dos discos de vinil
Sonia disse…
Antológico esse Summertime. Nunca é demais ouvir de novo.
Kovacs disse…
Sonia, essa gravação é bem interessante, a interpretação de Janis é realmente antológica.
Oldpeyote disse…
acompanhada ainda da fraquíssima "Big Brother and the Holding Company"? Como assim? E depois referes que as bandas posteriores não tinham a "raça" desta? Get your shit together
Kovacs disse…
oldpeyote, a falta de virtuosismo técnico da banda Big Brother era compensada pela garra (ou raça como falamos na gíria musical brasileira) nas apresentações. Este era o foco do texto, desculpe se não fui suficientemente claro.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira

As 20 obras mais importantes da literatura italiana

As 20 melhores distopias da literatura

20 grandes escritoras brasileiras

As 20 obras mais importantes da literatura portuguesa

As 20 obras mais importantes da literatura francesa