Lilian Aquino - Nunca estive em Tübingen

Poesia brasileira contemporânea
Lilian Aquino - Nunca estive em Tübingen - Editora Patuá - 64 Páginas - Capa e projeto gráfico: Roseli Vaz - Lançamento: 2021.

Os poemas de Lilian Aquino refletem sobre espaços inusitados, lugares de passagem, cidades estrangeiras nas quais nunca estivemos, o desconforto de se achar subitamente em um desses "não lugares" (Já me transportaram / como oposto / me arrancaram do / futuro me fechando / em um porta-malas // Dias e dias de estrada / e as noites todas elas / longe de casa). A poeta fala sobre os muros, os impasses, as escolhas ao longo do caminho. Tudo aquilo que nos leva ao estranho processo diário de se extraviar e se encontrar, procurando por possíveis "Desvios" (teria o poema / um trajeto? / um mapa / com alfinetes / a me espetar / os pés? // o que pode / fazer um poema / atarracado / no meio da passagem / qual um cobrador / de ônibus / fazendo girar / catracas / a não ser me deixar / passar / por baixo?). 

Embora não ocorram referências diretas à pandemia, os poemas foram criados no auge do difícil período de isolamento e luto nacional, por exemplo "Elegia 2021" (Avançar no espaço como um astronauta / cumprindo uma missão / sem sentido / Orbitar com olhos de luneta / a Terra adorada acima da qual dançam / meteoros / Avistar zanzando na atmosfera / aquele país que sonha ainda deitado / abandonado à própria sorte // Nossa astronauta espia / a pátria uma imagem / risonha / límpida / Uma tragédia em queda / do céu e que teme / a própria morte). Deixo com vocês alguns dos versos criativos da poeta Lilian Aquino e compartilho com ela a certeza de que a vida é mesmo e sempre um "Perigo" (de capela pra capeta / é um risco).

Nunca estive em Tübingen

Este cartão-postal
exibe numa das faces
uma paisagem
árvores e um rio
margeado por edifícios de enxaimel
onde se lê
Hölderlinturm, Tübingen, Deutschland

Eu – que nunca estive
em Tübingen –
me abro a visitá-la
atravessando a impossibilidade
de habitar uma foto

A construção
em destaque na imagem
evidencia uma torre 
amarela e redonda

(Entro no imóvel, subo
ao primeiro andar
onde uma placa diz
Neste lugar Hölderlin
viveu e morreu
por 36 anos)

No verso do papel
o carimbo a letra cursiva
uma correspondência
aberta ao ar par avion
desloca significados
e no rodapé 
lê-se
Bitte nicht unterhalb dieser Linie schreiben
Do not write below this line.

Extraterritorialidade

Se o que resta é apenas o muro
e não há lugar suficiente

que caiba a possibilidade de dizer onde
de dizer refúgio ou – pior ainda – nação

rogo à palavra que cave este chão
estranho, vazio de sentido e de morada

e até agora hostil às minhas formas
de revolver a língua onde me criei

para que aqui nasça o incomum
enfim: um lugar do outro.

Não se mexa

andei meio parada
na fronteira
entre
pino
e granada

Saia da linha

Não siga placas
pontes travessões
: as regras conduzem
ao conhecido desde
tanto tempo
Não siga
muito menos
os versos deste poema
Ele, como muitas
outras coisas,
quer te fechar
entre colchetes

Não sei onde coloquei as horas

Eu poderia simplesmente
sacar da bolsa o celular
e mandar uma mensagem
ligar eu não ligaria
Opto por vaguear por aqui
esticar o braço e alcançar
com as pontas dos dedos o gradeado
que cerca a praça dedilhando como quem
toca um instrumento de corda
O acaso de um encontro
na encruzilhada da avenida com
qualquer ruazinha de mão única
é quase impossível em dias assim
(faço figa nos dedos)
Todos os rostos as caras os cenhos
todos os calçamentos cimento lajota
buracos – gosto de tudo nesta cidade.

Mas hoje até a padaria 
antes aberta 24 horas
está fechada.

Poesia brasileira contemporânea

Sobre a autora: Lilian Aquino nasceu em 1979, em São Paulo, onde mora. É autora de outros dois livros de poemas, Pequenos afazeres domésticos (Patuá, 2011) e Daqui (Patuá, 2017). O seu mais recente lançamento, Nunca estive em Tübingen, foi escrito durante o ano de 2021 como um projeto para a Lei Aldir Blanc/ProAC Lab do Estado de São Paulo com o apoio do Prêmio por Histórico de Realização em Literatura do ProAC LAB2020.

Onde encontrar o livro: Clique aqui para comprar Nunca estive em Tübingen de Lilian Aquino

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

As 20 obras mais importantes da literatura japonesa

As 20 obras mais importantes da literatura francesa

As 20 obras mais importantes da literatura italiana

As 20 obras mais importantes da literatura dos Estados Unidos

20 grandes escritoras brasileiras

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira