Capas de Livros

Jane EyreVocê se considera incluído naquela categoria de leitores que simplesmente não consegue resistir a uma bela capa? Já comprou um livro influenciado pelo design, ilustração ou acabamento? Então certamente vai adorar o site: Book Cover Archive que apresenta praticamente tudo relacionado à profissão de designer de livros, incluindo links para ilustradores e empresas especializadas, além de blogs específicos deste tema. Eu mesmo não me considero um fetichista nesta área, mas não encontro o menor prazer em ler um livro através de um monitor ou em um desses novos aparelhos do tipo "e-reader". Livro tem que ter cheiro e textura, por mais absurdo que isto possa parecer.

Segue uma relação de links de ilustradores especializados em design de livros: Mark Abrams, Kelly Blair, Milan Bozic, Roberto de Vicq de Cumptich, David Drummond, David Gee, Jonathan Gray, Jamie KeenanGregg Kulick, Mark Melnick, David Pearson, Isaac Tobin, Megan Wilson, Henry Sene Yee, Helen Yentus.

E aqui uma relação de sites e blogs ligados ao assunto: The Casual Optimist, The Book Design Review, Book Covers Anonymous, Faceout Books, Judge a Book..., Tal Designz, Old-Timey Paperbacks, The Pelican Project, Joe Kral's Penguin Collection.

Comentários

Tempestade disse…
É claro que já comprei vários livros devido à bela capa, e às vezes a história não compensou, mas fazer o que.
Ótima dica!
Também não vejo nenhuma graça em ler no pc ou nesses aparelhos.
Beijos Tempestuosos!
Ricardo Duarte disse…
Kovacs,
Concordo com você quanto ao cheiro e à textura. Adoro folhear um livro, ouvir o barulho das páginas, sentir o cheiro.
Bela capa a escolhida para ilustrar o post! O livro a que pertence também é muito bom.
A cinestesia de um livro é insubstituível...
O primeiro ilustrador que aprendi amar foi o André Le Blanc, CLARO!...
BJS!
Djabal disse…
Eu também pertenço, parece, ao seu club. Não compro um livro pela capa, pelo menos, não que eu saiba. Entretanto, uma capa ruim, pode fazer uma influência negativa. Não sei se deixaria de adquirir, creio que não. A beleza continua fundamental, ainda que acessória em uma capa de livro.
Um grande abraço e deixo meu testemunho de agradecimento pela qualidade de seu trabalho. Sério e de bom gosto, à prova de qualquer capa. Siga em frente.
Chico disse…
Kovacs, todo o sabado o Financial Times tem uma area dedicada a essa parte, ou seja, se o trabalho grafico da capa condiz com o conteudo da historia. Bem interessante.

Evidentemente que eh uma arte muito pouco apreciada, mas antiga como a das iluminuras. Para quem gosta do Pamuk, como voce, sabe disso.

A proposito, estou terminando o Ian McEwan. Estou esperando para assitir o filme.

Abraco. Chico
Francisco disse…
A "embalagem" ainda estimula a compra de um produto. Com livros, não é diferente. Apesar de que às vezes, uma bela capa não condiz com o conteúdo.
Quanto ao cheiro, textura, e o prazer de tirá-lo da estante, não há nada que se compare.
Um forte abraço.
Kovacs disse…
Tempestade, obrigado pela visita e comentário. O ideal mesmo é quando a forma e o conteúdo apresentam elevado nível de qualidade.
Kovacs disse…
Ricardo, justamente é o que tentei fazer nesta postagem, escolher uma imagem de um livro com uma bela capa e ótimo conteúdo. Obrigado por comentar.
Kovacs disse…
Christina, atualmente não se publicam mais livros com ilustrações, é uma pena. Os ilustradores estão limitados somente à capa!
Kovacs disse…
Djabal, você definiu bem a beleza da capa como um acessório que pode influir de alguma forma no resultado final, mas nunca inviabilizando o principal que é o conteúdo do livro. Obrigado pelo comentário, como sempre muito generoso.
Kovacs disse…
Chico, vou checar o Financial Times, ótimo exemplo das iluminuras tão bem explorado por Pamuk em "Meu Nome é Vermelho".

Com relação a McEwan e a adaptação de "Reparação" achei o resultado do filme bom, mas muito além do efeito literário que o autor conseguiu no romance. Depois você comenta!
Kovacs disse…
Francisco, forma e conteúdo são importantes e o ideal mesmo é quando ambos são compatíveis, conforme comentei acima. Obrigado pela visita e comentário.
De vez em quando alguém tem um"ataque de civilização", e faz; o "Crime e Castigo" da Editora 34 tem gravuras de Evandro Carlos Jardim; a minha preferida é a da página 365, mas a da capa, que está também na página 105 é belíssima.
Eles devem achar melhor "investir" em auto-ajudas idióticas, não é?
Grana para PENSAMENTO e CRIAÇÃO eles acham que é "disperdício"...
Mas a roda gira!...
Um dia pensar e criar vão "fazer falta"(?!)...e aí muda.
BJS!
Barros disse…
Muito oportuna sua postagem. Não que a capa de um livro tenha alguma vez influenciado minhas escolhas, mas sem dúvida pode ser um componente importante para muitos. E afinal, um bom livro merece uma boa capa e gosto mais ainda quando há fotos ou outras ilustrações nas contracapas. Outra coisa bacana é quando a editora insere cópias de manuscritos do autor (dos antigos é claro, hoje em dia não há mais isso). E quanto a esta relação física com o livro, concordo plenamente com você, também sou daqueles que tem prazer em manusear, folhear, perceber sua textura e sentir o cheiro do livro. Passar algumas horas numa livraria, folheando e lendo sinopses ou até mesmo trechos dos livros que vai nos interessando, é um dos momentos mais prazerosos.
Kovacs disse…
Christina, a editora 34 é mesmo uma editora diferenciada no mercado. Imagino que devam ter muito pouco lucro financeiro.
Kovacs disse…
Barros, acho que você conseguiu, como sempre, sintetizar os pontos mais importantes do nosso debate até agora, concordo totalmente. Obrigado pela participação.
Raquel disse…
Também prefiro folhear a clicar em barra de rolagem.

Obrigada pelo comentário sobre "Refletir" lá no blog. Vindo de vc, significou muito pra mim.
yehuda disse…
livro sem capa é corpo mutilado
Blog do Beagle disse…
Comprar o livro pela capa e pelo título é comigo mesma. Muitas vezes acerto! Adoro o livro na mão, com seu perfume de tinta fresca, com o pó da prateleira misturado ao pó do papel cortado. Minha visão tem me causado problemas para ler, mas vou que vou. Elza
Leila Silva disse…
Sim, sim, eu sou dessas...já comprei livros pela capa. Vou lá ver.
Clara Lopez disse…
Nossa, que post ótimo e útil... eu me considero louca por capas de livros, amo ver um belo livro e capa idem.
abraço,
clara
Garota D disse…
Apesar do mundo de livros que se pode encontrar hoje pela internet, nada substitui a experiência sensorial de ler um livro de verdade. Como Kovacs disse, com textura, cheiro (para mim, tanto de novo como de velhinho. Sem falar, que o livro carrega em si uma história própria, diversa do seu conteúdo (aquele pelo qual geralmente nós o compramos), as mãos pelas quais passou, as situações engraçadas que passamos com/por ele, aquela flor que guardamos entre as páginas, a pessoa que carinhosamente pensou em nós, comprou-nos o livro e nos proporcionou um prazer único. Apesar de ser adepta de novas tecnologias, nada substituiu um livro de verdade. Quanto às capas, bem já comprei vários em razão da belas capas e os coloco estrategicamente na estante para que essa beleza seja admirada.
Ana R. disse…
Não tenha dúvida de que já comprei edições epla bela capa. E cheiro todos tb...:) Um dos meus desejos é ilustrar capas de livros...
Há algum tempo que só entro em livrarias sem óculos, para diminuir a tentação e conseguir sair só com um ou dois além dos que fui a busca...
Kovacs disse…
Raquel, comparação perfeita! A barra de rolagem não consegue substituir o prazer de manusear as páginas de um livro.
Kovacs disse…
Yehuda, imagem ótima: "livro sem capa é corpo mutilado"! Obrigado por participar.
Kovacs disse…
Blog do Beagle, espero que você consiga resolver a questão do problema de visão. Obrigado pela visita e comentário!
Kovacs disse…
Leila, se tiver tempo recomendo a visita a alguns dos links sugeridos.
Kovacs disse…
Clara, tente seguir alguns dos links para os ilustradores, tenho certeza de que você vai gostar!
Kovacs disse…
Garota D, perfeita síntese no seu comentário, muito obrigado mesmo!
Kovacs disse…
Ana R., minha sugestão é de que você apresente algumas ilustrações lá no seu blog!
Kovacs disse…
Dona Sra. Urtigão, também tenho o mesmo problema orçamentário!
Iêda disse…
Kovacs,

Eu leio artigo técnico direto no computador, numa boa. Mas literatura (e mitologia, filosofia...) é preciso pegar no livro, sentir o papel. Não acho que eu compre um livro pela capa, mas com certeza um belo projeto editorial agrega mais sabor (pq além da capa acho que existem letras e diagramações de texto mais atrativas). Seria como tomar um bom vinho em uma bela taça, não muda o liquido que saiu da garrafa, mas...

Bjao,
Iêda
Kovacs disse…
Iêda, comparação perfeita! É impossível degustar um bom vinho em um copo de plástico.
Sônia Brandão disse…
Para mim, o livro é insubstituível.
Gosto de tê-lo em minhas mãos.
Admiro a beleza das capas, mas acho que jamais compraria um livro só pela capa.
Um grande abraço.
Kovacs disse…
Sônia, concordo com você. A capa é somente um acessório como já foi comentado acima.
Ana Lúcia Parga disse…
Digamos que para mim a capa é um chamariz. Mas depois é preciso olhar por dentro, sentir o papel, ver a composição, e, claro, ler umas linhas pra "sentir" o livro.

Mas houve um livro que foi paixão à primeira vista, motivada pela capa e depois pela autora: "O Amante do Vulcão", de Susan Sontag. Um livro fantástico, que recomendo. Em Portugal saiu pela Quetzal, e a minha edição é de 1997.
Kovacs disse…
Ana Lúcia, concordo integralmente com o seu comentário e acrescento que, por este motivo, o "e-reader" nunca irá superar o livro tradicional.

Sobre Susan Sontag aqui no Brasil li este livro editado pela Companhia das Letras.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Os melhores livros e resenhas de 2019

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira

As 20 obras mais importantes da literatura portuguesa

As 20 obras mais importantes da literatura italiana

20 grandes escritoras brasileiras

As 20 obras mais importantes da literatura francesa